Integração após aula de Tai Chi no dia 09,16 e 23 de Maio de 2015…

6186bambu4-florais

Quero compartilhar também sobre as lições de consciência e resgate de valores que aprendemos nas aulas dos dias 09, 16/05 de 23/05/2015.

Prof. Tsai incentivou o grupo permanecer durante a meia hora final da aula com a finalidade de promover a integração entre os alunos. Nos despedimos das pessoas assim que aula termina e, pouco nos permitimos um tempo para estreitar os laços que nos une por um ideal comum:  longevidade e saúde.  Esta proposta foi genial para estreitar os laços de convivência entre a turma. A dinâmica é: ao final da aula, um discípulo se candidata a ser o capitão e por meia-hora expõe um tema a seu gosto: seja uma dica, vivência, depoimento ou revisão de exercícios.

Fui a 1ª capitã a inaugurar a dinâmica e compartilhei a minha história de como cheguei ao Centro Taoísta e dicas de bem-estar. Comecei em 2003 como aluna de mandarim e frequentei algumas aulas de Tai Chi mas, na ocasião, acabei abandonando devido ao trabalho e movida pelo sonho de alcançar metas para uma posição melhor no trabalho, proporcionar conforto à família. É a loucura de perseguir os bens materiais –  falso “status”. Suportei e carreguei todo o  “peso” que conseguisse suportar nas costas mas, disparei uma bomba-relógio que explodiu com a minha saúde (o depoimento está no mural). Alcancei o que eu queria mas, acabada! E dinheiro nenhum compra saúde de volta!

Com a ajuda do Prof Tsai, eu e os colegas, aprendemos que não é necessário correr atrás das coisas, elas acontecem!  Somos testemunhas vivas da comprovação de que o TAO nos proporciona absolutamente tudo e somente o que é necessário no tempo certo!

A seguir um resumo das oficinas que “capitaneamos”:

1ª Dinâmica 09/05/2015 – Compartilhei dicas para começar bem o dia:

  • Beber um copo d´agua morna em jejum diariamente para hidratar os tecidos e desintoxicar.  Alimentar-se depois de 15/20 minutos.
  • Nunca sair de casa sem a primeira refeição (combustível).
  • Manter o bom humor: a água morna permite regular também o funcionamento do intestino que está associado ao bom humor – o contrário do estar “enfezado – mal humorado”.  Faz sentido?
  • Disciplina e constância: praticar Tai Chi diariamente mesmo que seja apenas o básico.
  • Exercício do equilíbrio: ficar de pé sobre 1 das pernas e de olhos fechados. Os Iniciantes devem começar com os olhos abertos e aos poucos, aumentar a elevação da perna que será dobrada  até atingir um ângulo de 90 graus. Quando se sentir confiante, tentar fechar os olhos e  procurar manter-se na  mesma posição por 1 a 2 minutos. Após, repetir com a outra perna. Este exercício é ótimo para promover o equilíbrio, concentração, imunidade, auto-confiânça e reenergizante.

2ª Dinâmica 16/05/2015 – a capitã Betânia ajudou a  revisar os exercícios de fortalecimento de coluna, remo e poço. Foi uma revisão muito divertida. Kinjiro e ajudou a complementar e corrigir o exercício do remo. A turma participou animadamente da revisão.  Precisamos repetir mais vezes.

3ª Dinâmica 23/06/2015 – a capitã Luiza descreveu a sua história/trajetória. Impressionou a todos pela força de vontade e pelo depoimento de como chegou ao Centro Taoísta.

A experiência das dinâmicas é formidável porque agregou um grande valor: a amizade – que é uma das formas de “preservar a Mãe”:

Em complemento ao capítulo 52, compartilho “Preservar a mãe”  é semear, manter e cultivar a “Mãe” em todos aspectos, seja:

– Convívio Social e familiar: preservar laços de famílias e de amizade é uma arte! Hoje os relacionamentos pessoais estão sendo substituídos pelos recursos de tecnologia: mobiles, smartphones. As pessoas mal se falam, estão apenas teclando. Ame mais sua família e amigos, abrace-os e sempre elogie e incentive seus filhos, familiares e amigos a amadurecer de forma natural sem interferir ou preservá-los de sofrimentos. Porque evoluir faz parte da nossa existência. Orientar o filho é a obrigação da mãe e a caminhada harmoniosa é seu dever de filho com respeito à Mãe. Nem sempre será suave mas, as situações e resultados durante a travessia serão lições aprendidas para que se torne uma pessoa cada vez melhor.

– Natureza: parar com o extrativismo.  O ser humano extrai, subtrai da natureza sem reposição levando à escassez, degradação, erosão e extinção… tudo se torna escasso um dia. O nosso obrigação de filho é ter consciência de que os recursos naturais devem ser consumidos com ecoeficiência! Preservar e manter estes recursos à nossa disposição devemos plantar, consumir sem desperdiçar.

– Saúde: preserve os seus sentidos que são os seus portais de energia. São eles: olhos, nariz, orelhas, e boca. A quietude e sossego valem ouro. Cuidado com os excessos! Respeite-se e permita-se! Você é o que é pelo que fala, vê, ouve e come!

Palavras e pensamentos positivos promovem mudanças significativas em sua vida e na vida de outras pessoas com as quais você convive neste planeta. Com o tempo, você comprovará que coração puro, bom e sincero se somará aos corações semelhantes! Juntos se manterão UNO ao TAO para preservar a Mãe!

30/05/2015   Marcela Kwong

E-Mail: marcela_kwong@uol.com.br

Depoimento do meu  tratamento com Prof. Tsai:

http://www.centrotaoista.com.br/depoimentos-tai-chi-meditacao-chi-kung/item/155-h%C3%A9rnia-discal-na-lombar-quedas-de-cabelos-unhas-quebradi%C3%A7as-p%C3%A9s-e-m%C3%A3os-gelados-e-etc

http://www.centrotaoista.com.br

Anúncios

Relato do Tao Te Ching . Capítulo 53 . Aula de Tai Chi – 23/05/2015

53

“Grande Tao”

Neste capítulo, através da prática do Tai Chi, percebemos que todos nós, de fato, sabemos que só há um caminho certo para alcançar a longevidade e nos mantermos saudáveis, tranquilos e felizes.

Para alcançar a recompensa divina de bem viver, devemos ser honestos e não cometer desvios ou tentar através de caminhos mais curtos, alcançar resultados de forma rápida, o que pode gerar perdas e danos irreparáveis.

O corpo perfeito é saudável! Ao contrário do que a mídia propaga o “bonito”: corpo malhado de forma sofrida e dolorida e os lapidados por um bisturi.

O “bonito” nos custa muito caro: base fraca, órgãos vitais enfraquecidos. Nos tornamos marionetes do perfeccionismo consumista que um dia se tornará inútil, quando dinheiro nenhum deste mundo compra a saúde de volta.

A constância e disciplina em realizar os exercícios de Tai CHi são necessárias para recuperar o equilíbrio energético. Aos poucos, fortalecemos a nossa base, reorganizamos a circulação de energia pelo corpo, eliminando os bloqueios e alterando a vibração energética.

Através da nova frequência, a meditação eleva o nível de consciência corporal e espiritual. Aos poucos, retornar ao pré-natal revigora a capacidade de estabelecer a conexão com o Céu e a Terra em qualquer momento e tempo.

Mantenham-se focados! Aos poucos, sempre conectados somos capazes de cultivar e armazenar reciclar nossa própria energia estabelecendo o equilíbrio cada vez melhor. A comprovação de que alcançamos o equilíbrio é que o corpo “fala” e elimina os excessos: quem tem sobrepeso emagrece, quem é magro ganha peso, quem é acelerado se acalma, quem é grisalho ganha cabelos escuros, quem tem acne com pele lisa, quem tem insônia dorme tranquilo … e por aí vai! São muitos os benefícios!

Seguir o Caminho plano e constante, uno com o TAO tornará a sua jornada sublime, manterá o seu jardim florido e estoque de energia sempre renovado!

30/05/2015   Marcela Kwong

E-Mail: marcela_kwong@uol.com.br

*Texto elaborado por aluna:Marcela Kwong

————————————————————————————————————————-

Capítulo 53

      O capítulo 53 nos fala em seguir o Caminho. O Prof. Tsai comparou o comportamento do povo chinês com o comportamento do povo brasileiro, dizendo que o povo brasileiro busca  atalhos  , ou seja, busca no imediatismo e na lei do pouco esforço,  trilhar um atalho que o leve  ao seu objetivo.. O povo chinês, ao contrário, segue o Caminho apontado pelo TAO, ouvindo seu Mestre e seguindo por uma estrada plana e segura.

“O Grande Caminho é bastante tranquilo / Mas os homens gostam bastante de trilhas” Lao Tse.  É fácil constatar essa posição ao observar os inúmeros obstáculos que enfrentamos em todos os setores da vida: saúde, relacionamentos, profissão e vida pessoal, enquanto seguimos teimosamente por atalhos, quando seguir o Caminho é muito mais simples e seguro.

Observemos a natureza, diz o Pro. Tsai, o leão se move lentamente , exceto quando corre em busca da caça, seus movimentos são suaves e constantes. Assim é a estrada do Caminho, suave, tranquila, segura, bem sinalizada e   não seguimos por ela. Por quê?

Na ânsia de chegar com rapidez ao seu objetivo, o homem se perde nos atalhos cheios de armadilhas e perigos , enfeitando-se e colocando-se no lugar acima dos outros, numa hierarquia baseada no poder material.

O governo de um povo deve objetivar o bem estar do seu povo e não em ostentar riqueza e poder em excessos e luxos. Na China Antiga “carregar a espada afiada”, era um sinal de superioridade física e energética.

O governo que rouba seu povo , que simbolicamente esvazia seus depósitos de alimentos e bens  em proveito próprio ,alimentando o ego , se afasta do Caminho.

Óbviamente , essa   reflexão impressiona porque descreve exatamente a condição que nosso  povo está vivenciando sob a forma de um governo corrupto e autoritário nesse momento difícil da história política e  econômica do Brasil.

Fica muito claro compreender os princípios contidos no TAO ao nos depararmos com exemplos reais extraídos do nosso cotidiano e que são levantados durante as aulas. Somando-se a essas reflexões, a prática sem a qual é impossível conhecer e vivenciar a verdade do TAO ,estaremos no Caminho.

25/05/2015   Eleonora Lucato
*Texto elaborado por aluna: Eleonora Lucato
 ————————————————————————————————————————-

“Grande Tao”

Neste capítulo do Tao Te Ching, Lao Tsé nos ensina que o caminho do Tao (O Grande Caminho) é plano, não apresenta dificuldades, é simples e tranquilo. Mas, mesmo sendo assim, muitos procuram atalhos ao tentar trilhá-lo. 

No entanto, Lao Tsé nos afirma que o caminho do Tao não tem desvios nem atalhos e que devemos percorrê-lo em sua integridade. 

O homem é quem busca encurtar este caminho e sempre se desvia dele. Dessa forma, acaba sempre aprendendo com a dor. Mas quando o homem percorre o caminho correto, sem desvios, aprende pelo amor. 

Portanto, quem segue o caminho do Tao conforme ensina Lao Tsé, não busca atalhos, não se desvia dele e aprende na base do amor, evitando as adversidades e dores dos falsos atalhos. 

O Professor Tsai complementa que o Tao é um só, sempre foi e sempre será e já foi profundamente estudado ao longo dos tempos. Portanto, não há necessidade de acharmos que podemos modificá-lo ou encurtá-lo . Agindo assim, não estaremos trilhando o Grande Caminho. 

Ele ainda explica que estes ensinamentos devem ser considerados quando fazemos nosso treino. Devemos ter a humildade de prestar atenção nos ensinamentos e buscar assimilar o verdadeiro Tai Chi e não fazer o que achamos que é o correto. Devemos sempre ter o coração aberto e receptivo para aprender. 

Na segunda parte, Lao Tsé diz que quando o governo é podre, as plantações ficam abandonadas e os armazéns vazios. Mas, mesmo assim, podemos encontrar os ricos e os governantes vestindo boas roupas e bem alimentados. E, ainda por cima, com a espada na cintura, o que denota seu poder perante o povo. 

O Professor Tsai ainda bem observa que isso acontece nos dias atuais. Portanto, mesmo sendo proferida há mais de 2500 anos, podemos facilmente concluir que mensagem de Lao Tsé é perfeitamente cabível nos dias de hoje.

Portanto, neste capítulo, aprendemos que no caminho do Tao definitivamente não há desvios nem atalhos e como muitos governos abandonam seu povo na pobreza e mesmo assim gozam de boa vida, boas vestes e boa alimentação.

25/05/2015   Paulo Ricardo

E-Mail: paulobonciani@hotmail.com

*Texto elaborado por aluno:Paulo Ricardo

http://www.centrotaoista.com.br

Relato do Tao Te Ching . Capítulo 52 . Aula de Tai Chi – 16/05/2015

52

Proteger a mãe

Antes de abordar propriamente o capítulo 52, o professor Tsai enfatizou que as culturas mais antigas associavam a natureza como a grande mãe. Ou seja, a relação homem-natureza era de mãe e filho. Essa noção foi substituída pela cultura predatória, na qual o homem deve ser o explorador que submete a natureza ao seu bel-prazer.

No capítulo “Proteger a mãe”, Lao-Tse nos fala de uma relação de profunda harmonia e respeito; defende a importância de resguardar a mãe. Dessa forma, resguardamos o que é natural. Temos a mãe, mas devemos aprender a ser filhos. Lao Tsé fala que o início emergiu do TAO e todas as coisas que dele fluíram à ele retornam. Para encontrar essa origem é necessário reconhecer no TAO as manifestações maternas.

Em uma analogia com o treino de energia, reconhecer e resguardar a mãe (natureza) nos permite tonificar o corpo; voltar ao natural. O contrário – destruir a mãe natureza – causa a nossa própria destruição; construímos o nosso próprio sofrimento.

O capítulo nos fala da importância de fechar os orifícios do corpo; ao fechar essas “portas” que nos fazem perder energia, a vida fluirá com mais equilíbrio. Se não fecharmos essas portas, comprometemos nossa vida. Quanto mais se busca, mais perdido se fica. Falar demais, ouvir demais, ver demais…aumentar os estímulos causa dispersão de energia; perda de foco. Congestionar a mente e o coração não é uma boa prática. E como ter clareza?

Tsai defende que proteger a mãe é visualizar detalhes, alcançar a clareza, ter suavidade e se fortalecer. A conexão com a luz afasta energias negativas, desastres. A integração com a natureza nos faz mudar a frequência de energia… E, quando a energia muda, a vida muda. Curvar-se diante da natureza é obter força.

O professor Tsai ressalta que não se trata de filosofia. “A filosofia é algo que se pensa a respeito de alguma coisa; algo repleto de sintomas envoltos em pensamentos. A energia é um estado concreto. E para atingir essa energia é necessário ter constância”, afirma.

18/05/2015 Betânia da Silva Lins

E-Mail: betania.lins@printeccomunicacao.com.br

*Texto elaborado por aluna:Betânia da Silva Lins

http://www.centrotaoista.com.br

Relato do Tao Te Ching . Capítulo 51 . Aula de Tai Chi – 09/05/2015

51

TAO TE CHING Capítulo 51 Valorizar o TAO Na natureza, o TAO gera, cria e cultiva. Todos os seres são, portanto, expressões do TAO. E toda a criação é complementar: o homem precisa da mulher para gerar; a terra precisa do sol para germinar… A energia deve estar conectada para que as coisas tomem forma, pois a circulação energética é essencial para que as coisas tenham forma. O professor Tsai chama a atenção para a mudança energética lunar e o impacto desta na nossa vida, no nosso corpo. Na lua cheia, segundo o professor, sentimos uma energia circular pelo corpo muito distinta da verificada em outras fases da lua. Diante dessa totalidade do TAO, o ser humano deve respeitá-lo; valorizar a virtude emanada pelo TAO. Ao respeitar essa virtude – que gera a vida – estamos seguindo a ordem natural; o princípio essencial da criação. O TAO emana virtude. Ao mesmo tempo que cria e mantém, o TAO repara, regenera. E tudo acontece de forma natural – criando sem possuir, agindo sem interesse, guiando sem interferir… Tsai lembra que esse princípio difere dos dogmas religiosos, no qual a criação é creditada a um ser que cobra obediência e reverência; que age com posse. No TAO, a chamada “virtude maravilhosa” simplesmente existe…sem se vangloriar da criação!

11/05/2015 Betânia da Silva Lins

E-Mail: betania.lins@printeccomunicacao.com.br

*Texto elaborado por aluna:Betânia da Silva Lins

http://www.centrotaoista.com.br

——————————————————————————————————————–

Na primeira parte deste capítulo do Tao Te Ching, Lao Tsé expõe a natureza peculiar do Tao e explica porque devemos respeitá-lo e seguí-lo:

O Tao cria, mantém, repara e cura tudo no Universo, através da circulação energética, que é Yin e Yang em perfeita harmonia e em constante fluir.

Este fluir de energia cria transformações e mudanças que nos permitem evoluir. Caso contrário, não poderemos experimentar o verdadeiro progresso. Isso serve para todos os aspectos da vida: sabedoria, saúde, paz interior etc.

Seguindo estes ensinamentos podemos criar a Virtude em nós.

Esta virtude que gera vida deve ocorrer de forma natural. Sendo assim, não devemos interferir ou tentar utilizar de meios artificiais para promover nossa evolução ou restaurar nossa saúde, pois o Tao, por sí só, faz esta tarefa espontaneamente, desde que o deixemos agir.

O Tao cria, mantém e repara. A própria natureza tem o poder de curar.

Os remédios, por exemplo, curam somente os sintomas e jamais a causa das doenças, pois são recursos meramente artificiais criados pelo homem. São meios artificiais que interferem na natureza.

Na segunda parte do capítulo, Lao Tsé esclarece que o Tao é a fonte de tudo, mas nada possui. O Tao não é dono de absolutamente nada.

Cria, mantém, cura e jamais tem a pretensão de receber qualquer reconhecimento, adoração ou louvores, e por isso é chamado de a “Nobre Virtude”.

É diferente das religiões criadas pelo homem, onde os Deuses os possuem, estão no controle e, por isso, recebem adorações e louvores.

O Tao não busca qualquer mérito. Se quisermos nos integrar com o Universo e nos harmonizar com a natureza, para nossa evolução, devemos apenas respeitá-lo e seguí-lo.

10/05/2015   Paulo Ricardo

E-Mail: paulobonciani@hotmail.com

*Texto elaborado por aluno:Paulo Ricardo

http://www.centrotaoista.com.br

Relato do Tao Te Ching . Capítulo 50 . Aula de Tai Chi – 02/05/2015

laotse

       Neste  capítulo, o Prof. Tsai fez uma mediação clara e objetiva ao colocar o critério usado por Lao Tsé para categorizar num grupo de dez homens, a posição deles frente à Vida e à Morte..Entre esses dez homens ,usados como referência, três pertencem ao nascimento, isto é,buscam a saúde e a longevidade para o corpo físico; três pertencem morte, ou seja, se preocupam excessivamente com a morte e estudam sobre isso e três se movem para a terra da morte,não se cuidam, vivem perigosamente e provocam danos à saúde.

      Essas nove pessoas do grupo de dez, não sabem viver em equilíbrio, vivem cometendo excessos em vários setores da vida desgastando a vitalidade e a energia.

      Neste ponto, alguns leitores podem até se identificar com algumas dessas posturas, no entanto é no elemento que completa esse grupo de dez que seria o ideal se identificar, este 1 é o bom  cultivador da vida, o que é colocado na segunda estrofe.

      O bom cultivador da vida viaja pela terra sem se confrontar com os rinocerontes, cujos chifres não o atingem, viaja pela terra sem se confrontar com os tigres, cujas garras não o ferem e atravessa o exército sem que as armas o alcancem. Esses perigos no tempo contemporâneo representam todo tipo de ameaça que o homem enfrenta na sociedade em que vive, doenças, violência, e outros males.
      Para o grande cultivador da vida, que segue o Caminho, na prática, no estudo e na meditação, esses perigos não incitam à provocação e ao ataque evitando assim o confronto e a morte,Para o bom cultivador   ” não existe lugar para a morte” porque ele segue o Caminho, não se apega.
     A segunda estrofe chamou muito minha atenção porque diferentemente das outras pessoas do grupo de dez, o bom cultivador não se prende à vida e à morte, simplesmente VIVE, com equilíbrio e  sem excessos o que o leva para a longevidade sem a grande preocupação e apego , atitudes   que o afastam de uma vida plena , com qualidade e saudável.
05/05/2015   Eleonora Lucato
*Texto elaborado por aluna: Eleonora Lucato
 ————————————————————————————————————————-

Na primeira parte do capítulo 50 do Tao Te Ching Lao Tsé diz que os homens chegam e vivem, partem e morrem. Isto, entre outras coisas, demonstra mais uma vez o Tao como sendo algo em constante movimento e que tudo no Universo é impermanente.

 Diz ainda, que em cada 10 homens 3 nascem com pouca longevidade e 3 com muita longevidade. Acrescenta também que outras três buscam a longevidade, mas na morte vão ingressando por causa de sua grande ansiedade em obtê-la.

 Na segunda parte do capítulo, no entanto, diz que os homens que sabem de fato viver, viajam pela Terra e vivem sem medo de serem atingidas pelo chifre do rinoceronte ou pelas garras do Tigre.

 Isto significa que os homens que estão em harmonia com a natureza e com os princípios do Tao não precisam temer as adversidades da vida (os chifres e as garras), pois cada um recebe do universo as coisas que estão no seu mesmo padrão de energia/vibracional.

 Ou seja, sua energia entra em sincronia e sintonia com tudo o que tem a mesma vibração. Quem vibra amor, entra em sintonia com amor, quem vibra sentimentos perturbados sincroniza-se com coisas e pessoas com perturbações parecidas. Quem permanece tranquilo e cultiva a harmonia com a natureza vive uma vida menos turbulenta, e assim por diante…

 Devemos, portanto, buscar nos harmonizar com a natureza e procurar entender e trilhar o caminho do Tao, para que possamos ajustar nossas energias com o fluxo do Universo e da natureza em si. Com isso, não precisaremos temer o chifre do rinoceronte nem as garras do tigre.

 Acrescento, segundo meu entendimento, que para que possamos começar a nos harmonizar com a natureza é fundamental unirmos Céu e Terra em nós, permitindo Yin e Yang em constante movimento.

04/05/2015

Paulo Ricardo

E-Mail: paulobonciani@hotmail.com

*Texto elaborado por aluno:Paulo Ricardo

http://www.centrotaoista.com.br