Relato sobre Capítulo 18 do Tao Te Ching – Aula de Tai Chi no dia 12/04/2014

lao tze 18

Relato do capítulo 18 do Tao Te Ching: 4 Existências

-quando se perde o Grande Tao (conjunto de princípios de uma pessoa, de uma comunidade ou de um país), surgem a bondade e a justiça;
-quando aparece a inteligência (perda de consciência da Unidade), surge a hipocrisia
-quando o relacionamento entre os parentes próximos não está bem, surgem o dever e amor filial e paternal
-quando há desordem e confusão no país, surge o patriota

Neste capítulo Lao Tze mostra através de 4 virtudes que, enquanto tudo está em ordem, essas virtudes são tão comuns e lógicas que, as suas existências não são notadas.

Na nossa realidade podemos observar vários exemplos:
-a existência da nossa energia vital e a circulação dessa energia no nosso corpo só é percebida e dado devido valor quando perdemos a saúde, fazendo com que pratiquemos Tai Chi e meditação para restabelecer a energia que tínhamos antes.

-no Brasil, a importância da liberdade e da democracia só foi enaltecida com a perda desses valores com a instalação de ditadura em 1964, fazendo surgir movimentos político/popular como Diretas-Já para reconquistar a democracia e liberdade que tínhamos antes.

-as mil e uma utilidades da água e sua importância vital para o nosso cotidiano só é sentida com toda intensidade apenas quando ocorre a escassez e a iminência de racionamento.

Abraços,
16/04/2014 Kinjiro Sekiguchi

E-Mail: kinjiro2003@globo.com

*Texto elaborado por aluno: Kinjiro Sekiguchi

Anúncios

Relato sobre Capítulo 17 do Tao Te Ching – Aula de Tai Chi no dia 05/04/2014

laotse01Relato do Capitulo 17

Este capítulo trata do controle e suas consequências.

No principio não há governo.

Os grupos se auto gerem com liberdade, de acordo com a natureza.

Com o passar dos tempos, grupos mais ambiciosos começam a dominar outros.

No inicio enaltecem seus dominados e lhes cobrem de benesses protegendo-os.

Mas com o passar dos tempos, cientes do poder começam a impor suas ideias e desejos.

Até se excederem e serem percebidos, a partir dai, desacreditados, então embora no comando não são correspondidos.

Perdem o controle, por não transmitirem confiança e credibilidade.

Então os oprimidos começam a analisar e contesta-los, criando uma situação conturbada, um estado de não Governança.

 

O treino de Tai chi feito com consciência e dedicação, sem imposição, eleva o nível de percepção e a resistência física.   (caminho do TAO).

Desde o início deve ser conduzido com critério, efetuando os movimentos com leveza para observar o fluir da energia.

A orientação do professor é necessário, visto que a quantidade de detalhes e a sutileza de cada movimento deve ser compreendida  pois  o Tai chi é um treino de energia e não apenas coreografia.

A constância nos treinamentos é mandatória porque somente o saber como se faz, não imprime nos corpos  os benefícios dos movimentos. Isto é muito importante para que a monotonia não leve a desistência.

Uma vez absorvido e aplicado, o conhecimento transforma-se em destreza e confiança, (sabedoria). Com isso, tudo pode ser multiplicado.

 

10/04/2014   Benedito Breve

E-Mail: breve.b@gmail.com

*Texto elaborado por aluno: Benedito Breve

INSÔNIA, FOME COMPULSIVA, OBESIDADE, CONSTIPAÇÃO, NERVO FACIAL, PELE E ETC.

simone

Olá, Prof. Tsai:

Tive grande melhora do sono, diminuição da fome, emagrecimento, melhora da digestão e do funcionamento do intestino, pele mais bonita, recuperaçao do nervo facial.

Há problemas de saúde que não são resolvidos com medicamentos, como insonia e obesidade e em muitos casos gastrite; na verdade achava que acupuntura não fazia emagrecer mas descobri no centro taoista que emagrece sim, ainda mais se retirar a farinha de trigo. Comecei o tratamento e logo obtive melhora no sono, conforme segui com o tratamento veio outros benefícios, citados acima. É necessário ter paciência pois o resultado não vem rápido, com exceção da melhora do sono que até foi rápida, mas vale muito a pena esperar.

O Prof. Tsai trata desde recém nascido até idosos.

Agradeço ao Prof. Tsai pelo tratamento.

13/02/2014 Simone F. Souza

E-Mail: simonefarmaceutica@hotmail.com

Ver outros depoimentos:

http://www.centrotaoista.com.br/depoimentos-acupuntura

 

 

Relato sobre Capítulo 16 do Tao Te Ching – Aula de Tai Chi no dia 29/03/2014

retornoavidaCap 16  retorno à vida

            Tudo na Natureza está dividido na plenitude de Yin (serenidade) e Yang (vazio), e assim segue seu curso. Todos, depois da ação, necessitam de seu momento de refazimento, cumprindo um ciclo natural, como yin/yang. Quando o homem, pela meditação, consegue entrar no vazio e atingir a serenidade, tudo começa a se movimentar. E então o homem se torna pleno. Nada o incomoda, perturba ou irrita, pois sabe o que é transitório e o que realmente é importante. Lao Tse observa a grandeza dessa movimentação e tenta passar o ensinamento neste capítulo.

Chegando ao estado de harmonia, de serenidade, surge então a clareza do que é certo ou errado, necessário ou supérfluo, assim voltando à vida (a vida real, simples e descomplicada). Atingir o estado meditativo (entrar no vazio e atingir a serenidade, a quietude) pelo tan tien, (que é nossa raiz, por onde o homem foi gerado energeticamente) é uma forma do homem retornar ao estado pré natal, pleno, ou seja, retornar à vida.

Vemos outros exemplos na Natureza, da necessidade de se voltar à raiz. O vegetal está sempre conectado à sua raiz, que é por onde recebe sua nutrição essencial, seguindo o ritmo da natureza. Os animais também respeitam o seu ritmo biológico, também “voltam à sua raiz” – sempre que necessitam, entram em estado de repouso meditativo. Os animais seguem seu instinto, não questionam, não sofrem por “ ter” ou “querer”, como o homem. Quando o homem quebra esse ciclo, e por sua própria vontade deseja se sobrepor à necessidade de recolhimento (descanso, refazimento, pausa), acontece o stress – que é algo não natural e que prejudica o homem fisica, mental e espiritualmente. E o modo de encarar a vida é alterado, distorcido. Fora desse estado de harmonia, o homem passa a querer coisas que na verdade não necessita. O homem que consegue atingir o vazio e a serenidade não sofre, ele apenas segue. E é assim que ele volta à sua raiz, à sua vida, à vida real, não a vida de sonhos e desejos descabidos e ilusórios. E quando retorna à vida, na realidade consegue atingir a eternidade (ou alcançar o Tao, que não pode ser definido, mas pode ser sentido, que é ao mesmo tempo nada e tudo, que não tem começo nem fim). É dessa forma que se consegue a iluminação, a clareza.

31/03/2014   Miriam Iwamoto

E-Mail: miriamiw@yahoo.com

*Texto elaborado pela aluna: Miriam Iwamoto

_________________________________________________________________

 

Nesta aula sobre o capítulo 16,  vemos a necessidade de serenar e esvaziar.

Isso nos remete ao treino de meditação. È muito importante serenar o coração e esvaziar a mente. Quando não conseguimos isso por culpa dos pensamentos e sentimentos (problemas em casa, no trabalho, saúde etc), verificamos que não estamos receptivos.

Para receber a energia  temos que nos tornar receptáculos, com espaço para essa energia. E é assim que começamos a voltar para o caminho do Tao, ou seja, retornando à raiz. Com isso começamos a ter uma noite melhor de sono, não necessitamos de uma quantidade muito grande de alimento para nos satisfazer, nos tornamos mais calmos e tolerantes e começamos a ver as situações e pessoas de uma forma melhor, com menos julgamentos. Ou seja, quando conseguimos retornar à raiz, entramos em contato com a Natureza e voltamos a ter o equilíbrio “natural” que havíamos perdido.

31/03/2014  Wanderlei Taveres Martins

*Texto elaborado por aluno:Wanderlei Taveres Martins