Relato do Tao Te Ching capitulo 26 – aula d eTai Chi no dia 09/08/2014

          CAP26a

           No capítulo desta semana, Lao Tse discorre sobre a influência da relação entre peso e leveza na nossa vida, comparando o peso com raízes. Imagino que, ao criar raízes (ou estabelecer vínculos) com o que realmente é importante e necessário, nada pode nos derrubar. Quando temos uma base sólida, podemos dizer que estamos conectados com a verdade e assim adquirimos leveza e serenidade. Essa leveza está na resiliência. É como a planta que balança com o vento, mas que continua firme com suas raízes bem plantadas no solo. Ou, pelo contrário, quando um rei não sabe estabelecer o que realmente é importante no seu governo (não coloca o peso onde deve), é considerado fraco e ninguém o segue.

Numa relação com nosso treino de tai-chi, quando conseguimos sedimentar o peso na base (deixar o “peso baixar”), o resto do corpo e dos movimentos se tornam leves, e a nossa base se fortalece. Desse modo, a energia flui com naturalidade, pois é esse o nosso estado mais equilibrado. E equilíbrio é sinal de saúde física, mental e espiritual, sem inquietações ou ansiedade.

17/08/2014  Miriam Iwamoto

E-Mail: miriamiw@yahoo.com

*Texto elaborado pela aluna: Miriam Iwamoto

Relato do Tao Te Ching capitulo 25 – aula de Tai Chi no dia 09/08/2014

cap26

Relato do Tao Te Ching capitulo 25 do dia 09/08/14: Formação

Neste capítulo Lao Tzu fala que “há algo completamente obscuro, indefinido e indeterminado, anterior à criação de tudo, quieto e ermo, independente e inalterável, move-se em círculo e não se exaure, pode-se considerá-lo a Mãe sob o céu” que por não conhecer o seu nome chamou-o de Tao.  Este é o estado da consciência ou energia anterior à criação do céu, terra e de tudo que existe no mundo.  Apesar dessa condição, através da meditação é possível conhecê-lo, e quem alcança essa dimensão sente-se perder noção de tempo e de espaço e da existência do seu corpo físico.

Tao está em toda parte, por isso Lao Tzu chama-o de Grande, “Grande significa Ir” porque Tao é o próprio caminho em direção ao Absoluto, “Ir significa Distante” porque quem segue na direção da realização espiritual percorre uma longa distância, e “Distante significa Retornar” porque o retorno à sua origem primordial é a meta mais distante que uma pessoa pode alcançar com a prática do Tao. (Isso parece referir à meditação, pois através da meditação volta a nossa raiz e consegue retornar ao estado de energia pré- natal).

“O Tao é grande,
O céu é grande,
A terra é grande,
O rei é grande.
Dentro do Universo há quatro grandes e o rei é um deles.
O homem se orienta pela terra,
A terra se orienta pelo céu,
O céu se orienta pelo Tao,
O Tao se orienta por sua própria Natureza”

18/08/2014  Kinjiro Sekiguchi

E-Mail:kinjiro2003@globo.com

*Texto elaborado po aluno: Kinjiro Sekiguchi

_________________________________________________________________

Relato do Tao Te Ching capitulo XXV

digitalizar0007

Sabe-se de sua existência

É anterior à criação do céu e da Terra

Ela não muda,  fica rodando em círculo e nunca acaba

Podemos considerá-la como a grande mãe

É a energia do grande cosmo (energia da mãe natureza)  que rege a harmonia do universo

É a energia do pequeno cosmo que se localiza no Tae Tien, ao atingirmos o estado das “maravilhas” da meditação

Para a harmonia do grande cosmo, destaca-se o grande papel de equilíbrio da terra, do céu e do homem.

Ninguém sabe o seu nome e, a Lao Tsé deu o nome de Tao (“caminho”)

É grandioso, mas pode ser distante e longínquo

Para atingir o verdadeiro caminho do Tao, deve-se seguir as leis da natureza:

– O homem é regido pela terra;

– A terra é regida pelo céu;

– O céu é regido pelo caminho;

– O caminho é regido pela natureza.

No meu entendimento, a grande lição deste capítulo é: quando aprendermos a ouvir, sentir, respeitar, harmonizar com o fluxo da natureza, encontraremos o verdadeiro caminho do equilíbrio, da tranquilidade e da prosperidade.

Como exemplo, uma árvore, tendo a raíz forte fincada e distribuída na terra poderá crescer frondosa e gerar flores e frutos. Ela cresce em harmonia com a natureza: se sempre receber ventos vindo do leste, seus galhos vão se adaptar se curvando para o oeste, mas continuará dando flores e frutos e muitas vezes, ainda mais bela. As árvores desempenham  a sua missão na natureza de maneira silenciosa e calma, mesmo sofrendo os malefícios da intervenção do homem. Esse exemplo nos permite melhor entender que a posição de “abraço da árvore” literalmente imita a fortaleza de uma árvore: um alicerce forte permite maior capacidade de enfrentar as adversidades, proporciona maior equilíbrio e harmônia. Por outro lado, na meditação, a conexão com o lin tai e tan tien proporciona a conexão com o pequeno cosmo, com a nossa mãe geradora e são os dois caminhos essenciais para uma vida mais saudável, mais equilibrada e de paz.

Há algo completamente entorpecido

Anterior à criação do céu e da terra

Quieto e êrmo

Independente e inalterável

Move-se em círculo e não se exaure

Pode-se considerá-lo a Mãe sob o céu

Eu não conheço seu nome

Chamo-o de Caminho

Esforçando-me por denominá-lo, chamo-o de Grande

Grande significa Ir

Ir significa Distante

Distante significa Retornar

O caminho é grande

18/08/2014  Iracema Ioco Kikuchi Umeda

E-Mail: iikumeda@hotmail.com

*Texto elaborado pela aluna Iracema Ioco Kikuchi Umeda.

Relato do capitulo 24 do Tao Te Ching – Aula de Tai Chi no dia 02/08/2014

TAOTECHING

Quem fica na ponta dos pés… não tem equilíbrio, tampouco caminha.

Quem anda com passos largos… não caminha direito.

Quem pensa que se vê… não enxerga a si mesmo com clareza.

Quem se atribui muita importância… não tem destaque.

Quem se julga muito importante…não tem mérito.

Quem se acha muito correto…não se desenvolve ou cresce.

Quem come mesmo depois de saciado…não se alimenta.

Esses comportamentos não são pertinentes ou dignos dos seguidores do Tao.

Na minha percepção, Lao-Tsé reafirma, no vigésimo quarto capítulo, o caminho do TAO – pautado pela busca do equilíbrio, por uma vida sem comportamentos que nos afastem do estado natural. O caminho do meio nos mostra a virtude.

O paralelo das palavras de Lao-Tsé com o treino de energia é inegável a cada linha do texto. A busca por uma vida mais equilibrada, mantendo humildade e colocando o coração verdadeiro em cada ato, em cada decisão a ser tomada tem sido uma das grandes lições dessa obra.

05/08/2014 Betânia da Silva Lins

E-Mail: betania.lins@printeccomunicacao.com.br

*Texto elaborado por aluna:Betânia da Silva Lins