Acupuntura, Tai Chi, Friorenta, insônia,equilíbrio físico e mental, etc.

DSC06850

No primeiro contato com o prof Tsai, apesar de não ter uma perda importante da saúde, sabia que não gozava de um grande vigor físico e nem tinha o equilíbrio emocional que desejava.

Já havia tentado praticar corridas, porém nunca conseguia dar continuidade – aparecia algum problema de saúde que impedia. Agora entendo o porquê. Não era natural. Aprendi que tudo na vida deve ser natural e, na meia idade que me encontro, a perda de energia é maior que na juventude. Devemos, pois aprender a economizar e não desperdiçar energia.

Tenho a convicção de que os exercícios de tai chi e meditação podem proporcionar saúde duradoura, além de ter o “poder de cura” para vários desequilíbrios físicos e emocionais. Para isso, o treino diário é essencial. Nunca mais peguei gripe ou resfriado e quando aparece uma dor aqui ou ali, sinto que a capacidade de recuperação é mais rápida.

Experimentei umas poucas sessões de acupuntura também e observei uma melhoria na qualidade do sono e na circulação periférica (antes, no inverno a sensação de frio era muito intensa).

Poderia continuar com as sessões de acupuntura porém, entendi que com a constância nas aulas de tai chi e meditação e treinos em casa, poderia manter a minha saúde.

Acredito que nesses poucos anos de convívio, o aprendizado tem sido enorme. E, alguns têm sido meus lemas diários, como:

  1. Não ter pressa; tudo no seu devido tempo;
  1. Respeitar o momento do outro, bem como as suas escolhas;
  1. Fortalecer a base, ter um bom alicerce, como as raízes de uma árvore;
  1. Refletir em cada situação indesejada com sinceridade, humildade e bom coração;
  1. Treinar o desapego;
  1. Respeitar e ter gratidão pela mãe natureza;
  1. A constância leva à perfeição, ao verdadeiro.

Os exercícios de tai chi e meditação são um aprimoramento do nosso coração e da nossa alma. E, de fato, muitas pessoas de meu convívio, relatam uma maior tranquilidade e serenidade nas minhas atitudes. Houve uma época que tinha muita pressa e ansiedade para tudo. Agora, bem menos.

Não tenho dúvida que o nosso corpo tem capacidade de cura infinita, mas para isso, teremos que ter merecimento. O professor Tsai compartilha semanalmente os seus conhecimentos, nos ensinando o verdadeiro caminho do TAO. Cabe a nós retribuirmos essa dedicação, esse amor ao próximo, mantendo a constância nos treinos e compartilhando a outros essas experiências e conhecimentos.

Ao professor, expresso a minha profunda gratidão por tantas oportunidades de aprendizado.

 

16/04/2016  Iracema Ioco Kikuchi Umeda

E-Mail: iikumeda@hotmail.com

http://www.centrotaoista.com.br/

Tai Chi, Hiperidrose, ansiedade, irritação, dores nas costas, dor de cabeça e etc.

DSC06848
Segue relato das minhas percepções desde o início das sessões de acupuntura e, mais recentemente, da acupuntura combinada com o tai chi e meditação.
Procurei a acupuntura pois minha cunhada estava fazendo o tratamento com o senhor, devido a uma alergia. Ela mencionou que a acupuntura poderia ajudar a minimizar a minha hiperidrose.
Ela mencionou (ou eu associei) que a melhora da hiperidrose se daria como consequência de algum tipo de equilíbrio, o que me chamou a atenção.
Durante o mês em que fiz as sessões de acupuntura, senti pouca diferença nas duas primeiras semanas, mas posteriormente tive ciclos de serenidade e irritação.
Quando comecei a participar das aulas de tai chi, senti os mesmo efeitos que senti durante as sessões de acupuntura, mas em menor intensidade.
Ainda sou iniciante na prática de tai chi, pois iniciei os treinos há 3 meses, mas já tenho sentido os benefícios das aulas, associados às sessões de acupuntura e à prática de meditação.
Ainda tenho os ciclos de serenidade e irritação, mas parece-me que os ciclos de serenidade têm prevalecido.
A hiperidrose, de fato, diminuiu, assim como as dores nas costas e a dor de cabeça que eu costumava sentir.
Tenho me sentido mais serena e em harmonia com as pessoas ao meu redor.
Agradeço pelos ensinamentos que tem passado nas aulas de tai chi.
Atenciosamente,
11/04/2016    Cristina Akiko Inamura