GASTRITE COM AZIA, REFLUXO, ANSIEDADE, INSÔNIA, SONO LEVE, ATIVIDADE/INTENSIDADE MENTAL E ETC.

carolina

Conheci o Centro Taoísta há cerca de 2 meses, em uma busca pela internet. Depois de ler praticamente todos os depoimentos de pacientes resolvi marcar uma primeira sessão de acupuntura.

Eu já havia feito acupuntura em 3 momentos da minha vida, cada vez com um profissional diferente. Sempre foi bom, mas nunca vivi uma experiência de transformação e aprendizado como a que tenho vivido agora no Centro Taoísta. Lá eu cheguei em busca de uma alternativa sem remédios para tratar de uma gastrite, com sintomas constantes de azia e refluxo, além de um quadro permanente e antigo de ansiedade, insônia, sono leve e muita atividade/intensidade mental.

Desde a primeira sessão de acupuntura, minha digestão melhorou incrivelmente, eu praticamente não tive mais azia nem refluxo ao longo desses 2 meses. O sono teve uma melhora sensível também. Há noites em que ainda demoro a dormir, mas é visível que as noites em que durmo bem melhoraram muito. Ainda oscilo bastante, e sinto que tenho uma resistência forte no corpo que me impede de ir além.

Choro em muitas sessões, fico angustiada com medo de não melhorar mais, caio novamente nas armadilhas da minha mente e da minha ansiedade. Tenho vivido todo o processo de aprendizado sobre a energia com muita entrega, com muita dor também, porque já compreendi que preciso me desapegar de velhos hábitos, velhas visões do corpo, da saúde, da doença, e realmente não é fácil transformar toda a forma já sedimentada de entender isso. Fomos calcados em uma visão ocidental e alopática da medicina em que somos pacientes passivos, sem responsabilidade por aquilo que nos atinge.

Acho que o que tenho aprendido de mais fundamental nesse processo com o prof. Tsai é que somos de fato responsáveis pelo nosso corpo, por nossa saúde e por nosso processo de cura e adoecimento, e que ser/estar ativo é essencial. A acupuntura também nos deixa visivelmente mais sensíveis e percebemos com grande facilidade como o nosso corpo reage a tudo, mas é preciso que saibamos compreender esses sinais e isso vem somente com o tempo.

Depois das sessões fico muito sensível e com o corpo mais quieto. Aprendi a não exigir dele muita atividade nesse momento. A minha ansiedade é permanentemente confrontada com a concepção não imediatista que o prof. Tsai propõe.

Não é fácil tentar se reorganizar intimamente de forma tão diferente, mas tem sido verdadeiramente transformador.

 

19/05/2017  Carolina Junqueira

E-Mail: carolinajs80@gmail.com

http://www.centrotaoista.com.br

OBESIDADE, DOR NA COLUNA, DOR LOMBAR, DOR CERVICAL, FASCITE PLANTAR, UNHAS FRACAS, RINITE ALÉRGICA, SINUSITE, INSÔNIA E ETC.

giani

Meu nome é Giani Cristina Sanches. Sou Secretária Executiva.

 

Eu encontrei o Centro Taoísta de Cultivo da Longevidade, procurando pela Internet: “ Acupuntura para tratamento de Obesidade”. Liguei e agendei a consulta.

 

Em 24/09, Sábado, foi a minha primeira consulta. Eu preenchi a minha ficha e coloquei que a minha procura pela Acupuntura era para tratar a Obesidade, mas que eu tinha outros problemas: dor na coluna (cervical, lombar); dor nos pés (fascite plantar) e outros. O Prof. Tsai me perguntou se eu tinha lido todos os depoimentos do site e eu disse que não tinha lido todos. Li somente alguns relacionados ao problema de Obesidade. Ele me pediu para ler mais. A primeira sessão de acupuntura me assustou um pouco, por conta que é necessário fazer um desbloqueio energético para depois fazer a aplicação de acupuntura. Senti dor mas, ela é suportável. Na sequencia recebi as recomendações necessárias e que seria necessário fazer uma aplicação de acupuntura durante a semana, para manter o equilíbrio energético e tomar um chá diariamente.

 

Cheguei em casa, entrei no site e li vários depoimentos. Segui as recomendações e tomei o chá todos os dias, seguindo também a forma de preparar e tomar.

 

Na segunda consulta, quando cheguei, li no painel de avisos, o depoimento de uma amiga, que trabalha comigo, faz o tratamento e faz Tai Chi. Me senti segura e no lugar certo.

 

O tratamento seguiu nas consultas de 29/09, 01/10, 05/10 e 08/10. Melhorei muito da dor na coluna, da dor nos pés,  e apresentei melhora na respiração (eu tenho rinite alérgica e sinusite); o sono melhorou, as minhas unhas cresceram (estão mais fortes) e eu estava mais disposta a cada sessão.

 

No dia 12/10, no feriado, eu fui a feira e puxei o carrinho de compras (aproximadamente uns 9 quilos em uma subida). Quando eu cheguei em casa senti que algo estava errado, eu estava com o rosto vermelho e transpirava muito. Pensei: não devia ter feito isso! Comecei a sentir dor novamente.

 

No dia 13/10, na minha consulta, não aguentava de dor na coluna. Estava a ponto de chorar. Quando falei para o Prof. Tsai o que fiz, ele me disse que eu não podia ter feito. Nas recomendações que eu tinha recebido, estava escrito somente caminhada. Eu fui ingênua e não sabia que poderia ocorrer isso, pois eu estava muito bem. Estar sem dor é maravilhoso. Faz você se sentir bem.

 

Agora, ciente das consequências, estou na sequencia do tratamento. Já fiz consultas em 16/10 e 19/10 e estou melhorando novamente.

 

Quanto a obesidade, vou emagrecer, mas agora estou buscando melhoras nas minhas dores e o Prof. Tsai disse que o emagrecimento acontecerá automaticamente e eu acredito. Na próxima consulta iniciarei o Tai Chi.

 

Para aqueles que lerem o meu depoimento, eu ainda estou em tratamento, mas recomendo.

 

Agradeço ao Prof. Tsai por sua atenção, orientação e acompanhamento.

 

 

 

19/10/2016   Giani Cristina Sanches

E-Mail: Giani.sanches@uol.com.br

http://www.centrotaoista.com.br

 

DESLOCAMENTO NO MAXILAR, BRUXISMO, SINUSITE, ESTRESSE, DESVIO DO SEPTO BILATERAL, ALERGIA, ESPINHAS NO ROSTO, INSÔNIA E ETC.

adreia01  adreia02

Meu nome é Andreia Amaral Sousa, sou profª de Química e de Ciências, conheci o Centro Taoísta de Cultivo à Longevidade por intermédio de uma amiga (Teresa Cristina Diniz), que tive o prazer de ver com meus próprios olhos as melhoras em sua saúde proporcionadas graças às sessões de acupuntura e as aulas de Tai Chi.

Agora tenho a honra de compartilhar um pouco da minha história… Há uns dois anos, tive um deslocamento no maxilar provocado por bruxismo, que no início só ocorria às noites após o dia estressante de trabalho em duas escolas, porém as dores começaram a se manifestar durante o dia e muitas vezes me pegava com o maxilar travado durante as aulas por conta do nervoso provocado pelos alunos, de repente no meio do mês de agosto de 2014 ao tentar morder uma batata cozida meu maxilar deslocou – a dor foi terrível – e a partir daí precisei procurar ajuda de um buco maxilo, que a princípio me proibiu de comer qualquer coisa sólida ( tive que me adaptar a comer sopa e papinhas), assim como era de se esperar, minha saúde foi ficando cada vez pior, emagreci muito, perdi minha qualidade de sono, as dores de cabeça eram constantes (me tornei a maior consumidora de Advil) e a medicação que foi receitada já não fazia muito efeito, o buco maxilo já falava em cirurgia, fiquei apavorada!

Não bastasse tudo isso, começaram a surgir várias crises de sinusite e minha pele começou a apresentar as sequelas desse quadro de falta de saúde. Precisei procurar uma dermatologista, esta por sua vez, após uma consulta recomendou que não usasse mais produtos cosméticos e tomasse uma certa medicação, porém não melhorei e voltei ao consultório, dessa vez fiquei muito surpresa pois ela disse que meu problema de pele era devido à sinusite (achei estranho pois o que tem a ver a pele com a sinusite) fui encaminhada a uma otorrinolaringologista que logo de cara falou que eu era muito alérgica e me pediu um exame chamado nasofibroscopia o resultado?: Desvio do septo bilateral.

Fiquei preocupada, pois já vinha protelando uma cirurgia do maxilar e agora aparecia uma possibilidade de ter que operar o septo?

Nesse meio tempo a Teresa que acompanhava o desenrolar dessa trajetória de doenças (pois trabalhamos na mesma escola) sugeriu que eu fizesse a acupuntura, lógico que muitas vezes me esquivei do convite pois não acreditava muito nesse tipo de tratamento, mas a essa altura do campeonato estava aceitando qualquer tipo de ajuda).

No dia 08/ 07/16 comecei meu tratamento com o Profº Tsai – fiquei espantada a princípio com a surra que ele me deu (faz parte do tratamento uma massagem básica), mas nesse dia minha maior surpresa foi perceber que eu sai de lá respirando pelo nariz ( há anos não sabia o que era isso – aliás acho que nos meus 37 anos de vida nunca soube, pois desde pequena frequento consultórios médicos de otorrinolaringologistas, inclusive aos 8 anos de idade fiz uma cirurgia de adenoide e extração das amigdalas graças às inúmeras infecções que tive quando criança).

Hoje completo minha 10ª sessão de acupuntura, agora acompanhada de aulas de Tai Chi e percebo que valeu muito a pena mudar meus pensamentos e aceitar que algo que não vemos (a energia) é tudo para termos qualidade de vida.

Muitas vezes me pego lendo os resumos comentados dos capítulos do Tao Te Ching e os depoimentos de várias pessoas que já passaram por situações iguais ou piores que a minha e melhoraram e sinto uma imensa gratidão por poder ter a oportunidade de levar as “surras” do Profº Tsai, por frequentar as aulas de Tai Chi ministradas pela atenciosa e dedicada profª Flavia e por ter uma amiga insistente (Teresa) e aos novos amigos que fiz nesse ambiente tão mágico, pois graças a todos eles hoje posso dizer que me sinto no caminho certo, no lugar certo, estou em busca de melhoria de qualidade de vida e isso só foi e está sendo possível graças a essas pessoas tão especiais. Inclusive quero registrar que não tomei mais nenhum medicamento desde a minha primeira sessão e hoje em dia percebo que tenho mais calma nas atividades do dia a dia, a melhora aconteceu em vários aspectos da minha vida, tanto físicos quanto emocionais.

Como não poderia ser diferente, espero que esse relato sirva de incentivo para outras pessoas, que assim como eu precisam de ajuda, que deem o primeiro passo e uma chance para o novo, o desconhecido, porém precisam ter em mente que levamos anos para destruir nosso corpo, então devemos ter paciência e dedicação para aprendermos a cuidar dele de forma correta, para aprendermos a trabalhar com essa essência que possuímos dentro de nós e que não nos ensinaram a usar chamada Energia e como brinde ganhamos o bônus de conhecer e apreciar mais profundamente os benefícios da filosofia Taoísta.

Obrigada do fundo do coração Profº Tsai, Profª Flavia e amigos do Centro Taoísta de Cultivo à Longevidade.

17/09/2016  Andreia Amaral

E-Mail: aasquimika@yahoo.com.br

http://www.centrotaoista.com.br

Relato do Tao Te Ching . Capítulo 80 . Aula de Tai Chi – 27/02/2016

e8d852a02789fa28f1ce5cffcdd3bbef

 

Em um povoado, Estado ou qualquer espécie de agrupamento humano, as pessoas, com o passar das gerações, desenvolvem ferramentas, utensílios e aparelhos sofisticados destinados a abreviar suas atividades diárias. Estas ferramentas executam com mais rapidez e eficiência estas tarefas que em outros tempos eram feitas manualmente e demandavam mais tempo.

 

Lao Tsé, no entanto, nos ensina que nem sempre estas ferramentas propiciam as facilidades que nos são adequadas ou que estejam de acordo com o Tao. Estas supostas “facilidades” somente existem em decorrência do que chamamos atualmente de capitalismo, onde tudo o que se faz deve ser mais rápido e em maior quantidade do que o feito ontem, objetivando sempre  aumentarem os lucros.

 

Ele ainda observa que na antiguidade nossos antepassados viviam tranquilamente, sem muita pressa e não dependiam das tantas facilidades e tecnologias atuais.

 

O ser humano está se tornando cada vez mais tenso, ansioso, imediatista, belicoso e por isso está trocando seus preciosos momentos de paz e conexão para ocupar-se ao máximo em acumular bens materiais. Dessa forma, está cada vez mais distante de suas raízes (o Tao), substituindo seu ambiente natural por um mundo artificial e ilusório, buscando encontrar no exterior coisas que supostamente preencheriam seu vazio interior.

 

O ser humano desaprendeu que a real felicidade está nas coisas simples, no que é tranquilo e calmo, no que é fácil e não necessita tanta rapidez ou soluções mirabolantes. Ele se esqueceu de que seu corpo tem um “timing” próprio, natural e forjado por milhares e milhares de anos de evolução, desde que surgiu neste pequeno ponto azul mergulhado na imensidão do Universo. O ser humano insiste em esquecer-se das premissas básicas de sua fisiologia, tentando sem sucesso adaptar-se e uma realidade que não lhe corresponde.

 

Não percebeu ainda que seu atual estilo de vida é muito recente em comparação a todos os anos que tem habitado este planeta e que seu corpo ainda não está adaptado energeticamente a todas essas loucuras e urgências atuais. Sua configuração energética é praticamente a mesma do homem das cavernas, que vivia numa época muito menos turbulenta e de menos atribuições, embora estivesse em constante busca por comida e abrigo. Mas a diferença é que ele obedecia unicamente a seus instintos naturais de tempo e esforço, mantendo-se muito mais conectado à natureza em comparação ao homem moderno.

 

O Profesor Tsai, a exemplo disso, nos lembra que antigamente o ser humano dispendia muito tempo para percorrer grandes distâncias (de um país a outro, por exemplo) e que, ao longo do caminho, gradualmente ia se adaptando às mudanças climáticas e de fuso horário dos locais por onde passava. Dessa forma quase não sentia o choque das grandes diferenças de clima, tempo e fuso horário de um lugar a outro.

 

E foi dessa forma que nosso organismo foi configurado.

 

No entanto, hoje as pessoas podem viajar através de distâncias incrivelmente maiores e em muitíssimo menos tempo. Mas isso obviamente faz com que sintam muito mais o choque climático e de fuso horário, que na maioria das vezes causa mal estar, cansaço e demanda dias até a adaptação completa.

 

E esta é apenas um pequena demonstração de que a forma como levamos nossa vida está em desacordo com o Tao de nossa energia. As urgências criadas pelo capitalismo não nos permitem que vivamos de acordo com nossa natureza e ritmo biológico. Estamos tentando adaptar nossa configuração energética e fisiologia próprias ao mundo artificial que estamos criando, quando deveríamos seguir um estilo de vida condizente com nossa natureza.

 

Não percebemos que essa loucura que estamos criando está gerando desgaste energético, doenças, ansiedade e tensão. Em razão disso as nações estão se tornando gananciosas a ponto de quererem invadir sa outras, roubar suas riquezas e dominar seu território.

 

Esse comportamento está fazendo com que infelizmente percamos um pouquinho de nossa humanidade a cada dia, está propiciando a eclosão de guerras e cada vez mais conflitos, está gerando desarmonia, doenças e fome, quando o que deveria ocorrer seria exatamente o contrário.

 

Portanto, podemos facilmente concluir, diante dessas observações, que seria melhor para a humanidade e pro planeta em si que o ser humano colocasse “os pés no freio”, soubesse imprimir menos urgência nas coisas e fosse menos ganancioso. Então ele veria que a maioria das ferramentas, instrumentos e dispositivos criados por ele seriam totalmente dispensáveis à sua felicidade.

 

O ser humano ainda não se deu conta de que não precisa de muitas coisas e artificialidades para ser feliz, mas há tempos já perdeu sua conexão com a natureza e está buscando exteriormente algo que preencha seu interior. Muitos já não conseguem mais vislumbrar uma vida feliz e plena sem a tecnologia exacerbada, que faz seus carros de ultima geração, seus smartphones e seus computadores.

 

E veja que Lao Tsé já advertia sobre esseperigo há mais de dois mil anos, portanto, essa inquietude do ser humano já existe há muito tempo e, a cada ano que se passa, a situação se agrava. Vejam por exemplo os casos de depressão, hipertensão e câncer que aumentam a cada década. Isso comprova o quanto estamos nos distanciando de nossa origem com o passar dos tempos e o quanto isso nos está causando enfermidades físicas e psíquicas.

 

Portanto, o sábio não se deixa levar pela ganância e evita desgaste energéticos desnecessários.

 

O sábio fica centrado, fazendo sossegadamente seu trabalho, evitando recorrer às inúmeras artificialidades, ferramentas e tecnologia em excesso.

 

Agindo todos assim, um país jamais necessitaria invadir ou dominar outro, pois toda sua população já se bastaria por si só, sem precisar tirar do outro o que não lhe pertence.

 

Estando conectados e simples de coração jamais sofreremos tais adversidades, não nos molestaremos e sempre estaremos saudáveis.

04/03/2016   Paulo Ricardo

E-Mail:  paulobonciani@hotmail.com

http://www.centrotaoista.com.br

————————————————————————–

Capitulo 80 – Não busque fora. Recolha.

 

Antigamente vivia-se muito bem, em harmônica com a vizinhança, sem almejar grandes sonhos. Os governantes sábios sabiam como deixar o povo feliz.

 

Vivia-se de forma pacifica dentro do mundo que lhe foi concedido. Sem grandes ambições, adequando-se ao meio que se vivia. Em paz, em harmonia, em suas singelas casas. Satisfeitos com o que se tinha, com as suas famílias, com as suas vestes, com o que se tinha para comer. Vivia-se feliz, convivia-se feliz. Não precisava ir longe. Não precisava de carros ou barcos – não eram necessários. Não precisava de armamentos – não seriam utilizados.

 

Cada povo adaptado no seu mundo.

 

Não era necessário ir buscar no mundo de fora o que no seu lugarejo não tinha. O mundo era autossustentado, com autossatisfação.

 

Mas a hipervalorizarão do mundo material provocou uma necessidade de busca por um mundo melhor, com uma falsa imagem de que o que não se tinha (o que está lá fora) era importante e era melhor.

 

A tecnologia nos proporcionou maior rapidez e precisão na elaboração de várias coisas, porém será que ela realmente está ajudando o homem? Proporcionou um conforto maior, porém com isso, perdeu-se muito a nossa tão preciosa saúde e tranquilidade. No mundo atual, tem-se pressa para tudo. A tecnologia não alcança a pressa do homem; pelo contrário, aumentou ainda mais a necessidade de se fazer ou conseguir algo mais rápido ainda…

 

Os ensinamentos de Lao Tse nos faz conscientizar que a tão sonhada paz (e felicidade) não está fora e nem longe. Está dentro de nós. No local onde vivemos, no nosso lar, no nosso trabalho, no nosso convívio, no nosso corpo.

 

Busquemos dentro de nós a nossa verdadeira identidade, que é luz, é energia. Deixemo-la fluir como de fato ela é: leve, sutil, brilhante. A prática da meditação nos conduz a esse caminho. Recolha. Deixe o mundo exterior e busque o vazio, o uno (o tudo e o nada) no mundo interior. É o verdadeiro caminho do Tao.

 

Equilibre-se, alinhe-se (toque de cabeça, tan tien, cóccix), centralize-se com os exercícios do abraço da árvore. Fortaleça a sua base, de forma natural. Conecte-se com a natureza e se energize.

 

Continuemos a praticar, diariamente, assim como o sol que um dia após o outro nos proporciona a luz que propicia a vida na Terra e, assim como as arvores, de forma tão sublime e serena, no trabalho incessante em oferecer oxigênio a todos os seres viventes deste planeta.

 

Meus sinceros agradecimentos à nossa mãe natureza.

 

29/02/2016  Iracema Ioco Kikuchi Umeda

E-Mail: iikumeda@hotmail.com

http://www.centrotaoista.com.br

 

PROBLEMA DE PRÓSTATA, ELEVAÇÃO DO PSA, INSÔNIA, CANSAÇO, ANSIEDADE E ETC.

PSA

Em meados de outubro de 2015, após exames médicos, check up anual, houve suspeitas que tivesse sério problema em minha próstata, pois havia uma progressão nos índices de PSA, ou seja de 5,30 em 2014 para 6,83 em 2015.

Em vista dessa elevação do PSA o medico sugeriu que fizesse um exame de Ultrassonografia com Biópsia, isto me assustou pois amigos já tinham feito e me relataram como esse exame é incomodo e assustador, pois dependendo do resultado o tratamento é muito severo.

Em conversa com o Prof. Tsai, ele percebeu a minha preocupação e me tranquilizou, disse que minha energia estava baixa e pediu que marcasse algumas sessões de acupuntura e também continuasse com os treinos de Tai Chi.

Passados mais ou menos 45 dias, ao fazer os exames preparatórios para a realização da Ultrassonografia, qual não foi a minha surpresa ao constatar que o índice do PSA tinha caído para 4,69.  Em conversa com o meu médico ele disse que dependendo do dia do exame pode sim haver alguma alteração, mas que como o exame já estava marcado que seria bom que eu o fizesse pois desta forma dirimiria qualquer dúvidas a respeito.

 

Em janeiro deste ano fiz a Ultrassonografia e os resultados foram todos normais e sem necessidade de qualquer tratamento.  Acredito seriamente que as sessões de acupuntura e os treinos de Tai Chi colaboraram para isso.

Quero agradecer ao Prof. Tsai pela atenção e paciência que teve comigo nesse tempo todo pois sem a sua ajuda e dedicação não teria ido tão confiante fazer os exames.

 

23/02/2016  LUIZ NANAO IKEDA

E-Mail: luiznanao@gmail.com

Ver outros depoimentos:

http://www.centrotaoista.com.br/depoimentos-acupuntura

 

DSC06753

Relato do Tao Te Ching . Capítulo 78 . Aula de Tai Chi – 13/02/2016

agua

A Virtude da Água

Nesse capitulo, Lao-Tsé ensina que nossos atos deveriam ser todos baseados nas virtudes da Água. Na Natureza nada é tão suave, branda e tolerante como a Água.

O Tao mostra que a água ao mesmo tempo que é suave e calma, pode ser forte e destrutiva. A mesma água que traz paz, traz destruição. A mesma água que é pura, carrega todo lixo e sujeira. A água que dilui e purifica, pode ter a força capaz de cortar até mesmo a mais rígida pedra. A fraqueza da água vence a força e a suavidade vence a dureza. Como diz o ditado popular: “Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.”

A Água está presente em todas as formas de vida do planeta. Desde os seres mais puros e límpidos até os mais sujos e impuros.

A Água é humilde pois não fica no topo, no lugar mais alto, contrário ao ser humano que sempre quer o Pódio. Ela não quer o pico das montanhas, fica onde ninguém deseja ficar, nos vales. Quando ela nasce corre direto para a terra, para os buracos, entra nas fendas mais estreitas, se esconde. Ela se doa sem exigir nada em troca.

O Tao nos ensina que como a Água, devemos ser humildes, servir sem esperar a troca, o retorno. Nunca almejar o topo, doando-se sem esperar nada de volta.

A Água desloca-se sempre pelo caminho mais fácil, que não quer dizer que é o mais curto, nem o mais tranquilo. Ela segue pelo caminho natural.

Como o Prof. Tsai já ensinou, o Homem sempre escolhe o caminho mais curto, onde dispensamos energias que poderiam ser utilizadas de outras formas, para outros fins, ou até mesmo poupadas.

A Água flui naturalmente e quando encontra uma pedra ou obstáculo pelo caminho, ela não para ou perde sua energia tentando vence-la ou arrasta-la. Ela simplesmente contorna a pedra ou o obstáculo e segue seu caminho, mantendo seu fluxo.

E assim o Tao ensina que na Vida tudo é fluxo constante. A vida é uma constante mudança, para uma evolução pessoal e espiritual. Como a água, o fluxo da vida não é se deixar levar simplesmente mas sim, aproveitar o que for necessário e eliminar o que não serve mais.

Como a Água devemos fluir por onde é possível. A Água não pensa na distância ou nos obstáculos que poderá encontrar pela frente, ela flui em direção do seu objetivo. Ela não tem Ego ou fica ansiosa, nem se aborrece. Ela sabe que seguindo seu caminho, de uma forma ou outra, chegará ao seu destino, independente da distância a ser percorrida.

E mais uma vez o Tao mostra como devemos seguir em nossa vida: O fluxo de Vida se inicia quando temos um sonho, um objetivo, isso nos dá motivação e força para seguir, nos dá um sentido na Vida. Devemos seguir o caminho sem se preocupar com a distância, desviando dos obstáculos, apenas fluir.

Da mesma forma, quando a água encontra um buraco ou desnível, ela cai para o fundo ficando lá, acumulando-se até que possa atingir a borda. Somente quando o seu nível se eleva até que possa ultrapassar novamente a borda preenchendo todo o buraco, ela consegue sair. Desta forma está pronta para seguir seu caminho e continuar sua missão.

O Tao ensina que devemos ser como a Água: quando encontramos uma situação de dificuldade, muitas vezes sentimos que estamos no fundo do poço. Lá ficamos, esperando, acumulando conhecimento, apreendendo com nossos erros e utilizando esse tempo a nosso favor. Até que alcancemos a borda do poço para sair e seguir nosso caminho. Como lição de vida aprendemos que com Calma e Paciência, ganhamos confiança para continuar a fluir.

O Prof. Tsai sempre nos fala que na água turva, agitada não vemos seu fundo ou sua pureza. Assim como em um agitado não podemos ver seu fundo, em uma mente agitada e confusa, não podemos ver claramente o que está adiante. Mas quando a água se torna calma, tranquila, em repouso, ela fica cristalina. Da mesma forma também é nossa mente. Quando aquietamos nossos pensamentos, encontramos as respostas para todas as nossa dúvidas. Exemplo claro de como dizia Albert Einstein: “Você não pode resolver um problema como o mesmo estado de espirito que o criou”.

O Tao nos mostra a dualidade da Água: a mesma água calma, tranquila e serena deve ser respeitada ou poderá ser tornar uma ameaça terrível. Movimentar seu curso, destruir seu caminho, represar sua força ou usa-la de forma irresponsável, pode trazer grandes consequências. A Água exige respeito e não devemos menosprezar sua força.

O exemplo mais recente e ainda vivo em nossas mentes é o caso da barragem que se rompeu em Mariana – MG. Milhões de litros de água calma, parada, devastaram a cidade inteira trazendo consequências irreparáveis até hoje para todos. Outro exemplo são as chuvas, que representam milímetros de água, quando medidas num pequeno espaço de terra, mas que são terrivelmente destrutivas, quando acumuladas em grandes quantidades sem ter para onde escorrer. A água acaba levando tudo que encontra pela frente e ela está apenas seguindo seu caminho….

Se pensarmos mais a fundo, entendemos como a Água é única. A mesma água que bebemos hoje, já foi Chuva, Rio, Gelo, Vapor, Lagrima, Orvalho, Urina e Mar. Sua origem remota as estrelas, ao Cosmos. Nela contem simplesmente toda a história do Planeta. A Água é sábia, é sagrada.

A Água pode ser líquida, gasosa ou solida.

Ela é mutável, se adapta ao ambiente que está.

O Tao ensina que assim devemos ser também. Nosso estado de paz, de bem estar, de equilíbrio e evolução está ligado a nossa capacidade de adaptação ao meio, sem mudarmos nossa essência.

Devemos suportar os males, sujeiras, obstáculos e se nos tornarmos sábios como a água, permanecendo serenos na dor, o mal não entrará em nossos corações. Se nos permitirmos fluir como a água, tudo se acalmará e se resolverá.

Entretanto, os Homens, os Governantes não enxergam desta maneira e agem de forma contraria, tirando tudo do povo, agindo contrários ao fluxo Natural da Vida, o que só traz sofrimento ao Povo.

 

29/02/2016  Leticia Sayuri

E-Mail: leticia_sayuri@hotmail.com

http://www.centrotaoista.com.br

————————————————————————–

rdn_506cd9767daee

A Virtude da Água

 

A água é elemento mais flexível, maleável e suave da natureza. É adaptável a qualquer forma onde está contida e pode tranquilamente fluir por qualquer fresta, caminho ou passagem independentemente de seu tamanho.

 

No entanto, nem os materiais mais duros podem “vencê-la”. A água, pela ação da erosão realizada com sábia paciência e indiferença ao longo dos tempos, no meio natural tende a corroer e desgastar qualquer material, desde rochas vulcânicas e calcárias a até mesmo estruturas de ferro e concreto feitas pelo homem.

 

Outro exemplo interessante da força deste elemento tão maleável e destruidor são os instrumentos de corte de materiais rígidos, utilizando-se de potentes jatos de água.

 

Por fim, mais um caso que ilustra muito bem a grande força deste elemento é o Tsunami que atingiu o Japão há pouco tempo, que, com sua ação destrutiva, dizimou cidades inteiras.

 

Portanto, a princípio a água parece ser fraca, mas pode vencer os materiais mais rígidos.

 

Lao Tsé, estando atento à natureza peculiar da água, observou que este é o princípio básico que rege a universalidade das coisas, sendo, portanto, o princípio do Tao Celestial.

 

E a partir desta observação, Lao Tsé nos ensina que a suavidade sempre vence o inflexível, e como este é um princípio universal, nós podemos levá-lo para todos os aspectos de nossa vida..

 

Nos “tornando água”, podemos atuar com mais harmonia, conexão e sabedoria, tanto na relação com as pessoas, como com as coisas, situações , problemas do dia-a-dia etc, jamais provocando conflitos e desgastes.

 

Saberemos ter a suavidade suficiente para nos adaptar às mais diversas situações, encontrar a melhor forma de nos integrar a elas e atravessá-las por seu ponto de menor resistência, assim como a água ao longo dos tempos que esculpe os rios por entre os vales.

 

Atuando dessa forma, evitaremos uma série imensa de desgastes energéticos em nossas vidas, o que certamente contribuirá para que tenhamos mais paz, harmonia e saúde em nossas vidas.

 

O Professor Tsai nos ensina que quando estamos com a energia fluindo corretamente as coisas naturalmente vão se harmonizando em nosso interior e consequentemente se refletindo em nossas relações com o mundo exterior. Sempre nesta ordem: ajustando-se primeiramente a vibração e a qualidade de nossa energia, para depois, com ela fluindo corretamente, os demais aspectos de nossa vida irem entrando naturalmente nos eixos.

 

Portanto, praticando a virtude da água, sendo flexíveis e buscando os pontos de menor resistência, nós não só podemos evitar desgastes energéticos como podemos também nos harmonizar, absorver mais energia e consequentemente ter uma vida mais feliz, tranquila, em paz, com saúde e sabedoria.

 

Não devemos nos esquecer de que o Professor Tsai não nos cansa de dizer que devemos ser flexíveis e suaves em nossos treinamentos, evitando a dureza muscular e rigidez do corpo enquanto executamos os exercícios e meditações, para que possamos evitar os bloqueios e propiciar uma soltura que permita o fluir de energia, sobretudo a descida de energia do “Lin Tai” ao “Tan Tien”. Praticar isso, inclusive nas demais atividades do dia-a dia, é realizar a virtude da água.

 

No entanto, Lao Tsé nos adverte que são muitos os que sabem disso, mas poucos os que conseguem realizar, pois a maioria dos homens age com dureza e imposição, praticando o Tao do Homem. O homem geralmente não age de acordo com os princípios naturais. É sempre duro, rígido e imponente.

 

Além deste aspecto, o sábio diz que quando um país tem problemas é obrigação principal do governante fazer com que as coisas fluam corretamente para que eles sejam resolvidos. Mas, como geralmente estes governantes não praticam o Tao Celestial, ao invés de eles auxiliarem o povo, eles acabam tirando o que resta dele. Agem contra o povo, contra o fluir natural das coisas, gerando ainda mais pobreza e sofrimento.

 

Sejamos água, pratiquemos o Tao Celestial e nos tornemos justos, saudáveis e felizes.

 

16/02/2016   Paulo Ricardo

E-Mail:  paulobonciani@hotmail.com

http://www.centrotaoista.com.br

Relato do Tao Te Ching . Capítulo 77 . Aula de Tai Chi – 06/02/2016

59

Relato do Tao Te Ching . Capítulo 77 . Aula de Tai Chi – 06/02/2016

 

O Tao Celestial:

 

Lao Tsé nos ensina que o Tao Celestial pode ser entendido como um arco de atirar flechas, no que diz respeito à forma como rege os eventos do universo, em relação às suas leis de compensação, equilíbrio e harmonia.

O Tao, aliás, é mais do que o regente da natureza: ele é também a própria natureza.

Veja que ao querer acertar um alvo, você deve mirar exatamente nele, devendo fazer as devidas compensações caso esteja fora da mira: se estiver muito pra cima, deve-se abaixar um pouco. Se apontar mais pra esquerda, deve-se ir um pouco mais pra direita e assim por diante.

Veja que este pequeno exemplo se estende a todos os aspectos da natureza: o Tao sempre encontra uma maneira de compensar as coisas a fim de facilitar o fluir de energia, favorecendo, assim, a manutenção da vida.

Como exemplo disso o Prof. Tsai cita o Nordeste do Brasil, que é uma região quente onde nascem côcos de forma natural. A água do côco possui uma vibração de energia mais fria, proporcionando àqueles que a bebe, uma compensação natural da energia excessivamente quente que recebe quando está no Nordeste.

Já no Sudeste do Brasil, onde já não é tão quente, o côco não é indicado para ser consumido. O côco não nasce naturalmente em São Paulo por não ser necessário para restaurar naturalmente a energia de quem vive neste ambiente.

A natureza faz brotar somente o que for necessário, de acordo com a necessidade energética. A natureza é econômica.

 

O Tao do Homem:

 

Já no Tao do homem alece essa “justiça natural” do Tao Celestial.

No Tao do homem há uma distribuição desproporcional de energia e demais recursos, em vários âmbitos, o que gera desarmonia, infelicidade, e consequentemente doenças e eventos desfavoráveis à vida.

Lao Tsé nos lembra que aquele que tem pouco acaba sendo o que mais doa, e aquele que mais tem, é o que mais recebe do que menos tem.

Isso pode ser notado muito facilmente no Brasil, onde, por exemplo, há politicos muito ricos e que cada vez mais recebem mais e lucram em cima do povo, que no final acaba sempre pagando a conta.

O santo (quem compreendeu o Tao) dá o excedente a quem não tem, pois está sincronizado com a natureza e não mais precisa de tantas coisas para ser feliz e realizado.

Por isso ele faz o bem e não tem necessidade de reconhecimento ou compensação pelo que fez.

Ele está livre dessas necessidades e muletas do ego.

Ele simplesmente faz o que tem de ser feito e se retira.

Quando ouvi o Professor Tsai comentar isso na aula, imediatamente me lembrei do Mestre Pai Lin, que fez exatamente dessa forma. Ensinou o que devia e humildemente se retirou.

Lao Tsé, após escrever o Tao Te Ching, também se retirou imediatamente, sem ter recebido qualquer elogio, compensacão ou gratidão.

 

13/02/2016   Paulo Ricardo

E-Mail:  paulobonciani@hotmail.com

http://www.centrotaoista.com.br

 

————————————————————————–

Capítulo 77 – o Tao do céu

 

O Tao do céu é como um arco-flecha.

Está na medida certa.

Se você empina o arco para cima, a flecha atinge acima do alvo desejado.

Se você mira o arco para baixo, a flecha cai abaixo do alvo desejado.

Se o arco estiver muito frouxo, a flecha não receberá o impulso necessário para atingir o alvo.

O Tao do céu complementa aos que necessitam, dá para quem não tem.

 

O Tao do homem é diferente, é anti-natural.

O homem por sua essência materialista, tira dos que pouco têm para aumentar dos que já têm.

Assim, o rico fica mais rico e o pobre fica mais pobre.

O poderoso fica mais poderoso e o oprimido mais oprimido.

 

Ao observarmos a natureza podemos ver a perfeita harmonia do Tao.

Cada um no seu papel, naturalmente encaixada em suas incumbências.

De um lado podemos ver uma enorme árvore frondosa,

Por outro lado, podemos observar as singelas (e aparentemente insignficantes) gramíneas.

Todas exercendo o seu valioso papel dentro do seu minicosmo, proporcionando a grande harmonia do macrocosmo.

 

O sábio sabe o verdadeiro caminho do Tao

Respeita a natureza. Não é egoísta, arrogante; compartilha.

Dá aos fracos e oprimidos, sem se vangloriar.

Ao aprendermos a seguir a mãe natureza, seguiremos o Tao, atingindo a paz de espírito, a serenidade que tanto procuramos.

12/02/2016  Iracema Ioco Kikuchi Umeda

E-Mail: iikumeda@hotmail.com

*Texto elaborado por aluna Iracema Ioco Kikuchi Umeda.

http://www.centrotaoista.com.br

————————————————————————–

Capítulo 77

 

Para lançar uma flecha é preciso ajustar o arco: aproximar as extremidades da haste de madeira com o puxar da corda para trás. Desse modo, a parte que era mais rígida (madeira) revela sua flexibilidade, e a parte que era mais frouxa (corda) mostra sua rigidez. Tudo deve se completar de maneira equilibrada para que a flecha não seja lançada nem muito para cima, nem muito para baixo.

Esses ajustes também devemos fazer com naturalidade em relação ao nosso próprio corpo e a tudo que se manifesta neste mundo: Aproximar os extremos que se encontram afastados, diminuir as sobras e completar as insuficiências. A Natureza funciona na perfeição dessas compensações, assim como o homem que segue o Caminho, porque ele também é parte dessa Natureza que opera em expansão e recolhimento, igual ao arqueiro operando o arco.

Precisamos assimilar essa sabedoria e caminhar de acordo com o Tao, abaixando o que é superior e elevando o inferior, aproximando os extremos e equilibrando o que está desequilibrado. Atualmente o homem atua no sentido contrário, elevando mais ainda o que já está elevado e abaixando mais ainda o que já está em escassez, afastando assim os extremos e aumentando o desequilíbrio. Se conseguirmos aplicar os princípios da Natureza no nosso cotidiano, saberemos administrar alimentação, sono, trabalho, dinheiro.

As únicas pessoas que possuem sobras para oferecer ao mundo, são as que possuem o Caminho. São aquelas livres do ego e que agem em sintonia com a Natureza; que cultivam as virtudes e se dedicam às práticas espirituais interiores – que não deixam de ser um constante lançar de flechas para dentro de si. Quando alinhamos nossas posturas nos treinamentos, somos arqueiros buscando o equilíbrio do arco.

Uma vez que o arqueiro alinhou seu instrumento, tudo que ele precisa fazer é soltar a flecha para que ela cumpra seu trajeto até o alvo.

Uma vez que nós alinhamos nossas posturas, tudo que precisamos fazer é também soltar o corpo e deixar que a Natureza aja. Com dedicação a essa busca, poderemos aprender a reconhecer e ler os sinais do Universo, agindo em perfeita sintonia com ele.

 

10/02/2016 Flávia Lucato Castardelli

E-Mail: flavia_lucato@yahoo.com.br

ttp://www.centrotaoista.com.br

 

———————————————————————-

 

Na explicação desse capítulo pelo Mestre Tsai vemos quão atual e importante são os ensinamentos do Tao.

O Homem tem se comportado como mero executor de tarefas e age como se estivesse num sono profundo, com total incapacidade para refletir sobre suas ações, é como máquina programada para executar.

Não existe atalho, enquanto o Homem não entrar em sintonia com o caminho que o conduzirá a verdade, ele apenas patinará em seu próprio erro.

O Mestre Tsai explica que o caminho do Tao é como o endireitar do arco, se ele não estiver na posição correta, certamente não seguirá seu fluxo natural.

Um governo que favorece os mais ricos e desfavorece os mais pobres não está em conformidade com seu povo e a consequencia é sempre desastrosa.

Ora, por que então o Homem insiste em andar na direção contrária? Bem, ele não enxerga que sua vaidade, ego e dogmas o afastam do caminho do céu.

Em contrapartida, quando o Homem entende que seu interior será aperfeiçoado a medida que abre mão de suas verdades incontestáveis, naturalmente entra numa sintonia que transcende a desse mundo.

A busca pelo equilíbrio é a mais sensata das decisões pois os exageros somente mostram o quão desordenada está aquela vida. O Homem peca por seus excessos.

Quando o Homem não se liberta do seu eu e age como se não houvesse o amanhã, além de limitar seu crescimento, bloqueia toda e qualquer ajuda que poderia ser direcionada ao carente.

O caminho do Tao é perfeito e quando o Homem entra em sintonia com este caminho deixando para trás o velho Homem, sua realidade e a das pessoas ao seu redor é lindamente transformada.

Este é o caminho do Tao, o caminho do céu.

 

08/02/2016  Priscilla Tanaka

E-Mail: priscillacasi@yahoo.com.br

http://www.centrotaoista.com.br