Relato do Tao Te Ching . Capítulo 51 . Aula de Tai Chi – 09/05/2015

51

TAO TE CHING Capítulo 51 Valorizar o TAO Na natureza, o TAO gera, cria e cultiva. Todos os seres são, portanto, expressões do TAO. E toda a criação é complementar: o homem precisa da mulher para gerar; a terra precisa do sol para germinar… A energia deve estar conectada para que as coisas tomem forma, pois a circulação energética é essencial para que as coisas tenham forma. O professor Tsai chama a atenção para a mudança energética lunar e o impacto desta na nossa vida, no nosso corpo. Na lua cheia, segundo o professor, sentimos uma energia circular pelo corpo muito distinta da verificada em outras fases da lua. Diante dessa totalidade do TAO, o ser humano deve respeitá-lo; valorizar a virtude emanada pelo TAO. Ao respeitar essa virtude – que gera a vida – estamos seguindo a ordem natural; o princípio essencial da criação. O TAO emana virtude. Ao mesmo tempo que cria e mantém, o TAO repara, regenera. E tudo acontece de forma natural – criando sem possuir, agindo sem interesse, guiando sem interferir… Tsai lembra que esse princípio difere dos dogmas religiosos, no qual a criação é creditada a um ser que cobra obediência e reverência; que age com posse. No TAO, a chamada “virtude maravilhosa” simplesmente existe…sem se vangloriar da criação!

11/05/2015 Betânia da Silva Lins

E-Mail: betania.lins@printeccomunicacao.com.br

*Texto elaborado por aluna:Betânia da Silva Lins

http://www.centrotaoista.com.br

——————————————————————————————————————–

Na primeira parte deste capítulo do Tao Te Ching, Lao Tsé expõe a natureza peculiar do Tao e explica porque devemos respeitá-lo e seguí-lo:

O Tao cria, mantém, repara e cura tudo no Universo, através da circulação energética, que é Yin e Yang em perfeita harmonia e em constante fluir.

Este fluir de energia cria transformações e mudanças que nos permitem evoluir. Caso contrário, não poderemos experimentar o verdadeiro progresso. Isso serve para todos os aspectos da vida: sabedoria, saúde, paz interior etc.

Seguindo estes ensinamentos podemos criar a Virtude em nós.

Esta virtude que gera vida deve ocorrer de forma natural. Sendo assim, não devemos interferir ou tentar utilizar de meios artificiais para promover nossa evolução ou restaurar nossa saúde, pois o Tao, por sí só, faz esta tarefa espontaneamente, desde que o deixemos agir.

O Tao cria, mantém e repara. A própria natureza tem o poder de curar.

Os remédios, por exemplo, curam somente os sintomas e jamais a causa das doenças, pois são recursos meramente artificiais criados pelo homem. São meios artificiais que interferem na natureza.

Na segunda parte do capítulo, Lao Tsé esclarece que o Tao é a fonte de tudo, mas nada possui. O Tao não é dono de absolutamente nada.

Cria, mantém, cura e jamais tem a pretensão de receber qualquer reconhecimento, adoração ou louvores, e por isso é chamado de a “Nobre Virtude”.

É diferente das religiões criadas pelo homem, onde os Deuses os possuem, estão no controle e, por isso, recebem adorações e louvores.

O Tao não busca qualquer mérito. Se quisermos nos integrar com o Universo e nos harmonizar com a natureza, para nossa evolução, devemos apenas respeitá-lo e seguí-lo.

10/05/2015   Paulo Ricardo

E-Mail: paulobonciani@hotmail.com

*Texto elaborado por aluno:Paulo Ricardo

http://www.centrotaoista.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s