Relato do Tao Te Ching . Capítulo 74 . Aula de Tai Chi – 09/01/2016

62

Capítulo 74 – Vida e Morte

Governar e dirigir uma nação requer sabedoria e tranquilidade.

Um líder nato e bom deve ser o primeiro a seguir as regras para servir de exemplo. Assim, todos se espelham e assemelharão a ele. O que é bom para ele, é bom para todos, logo há prosperidade.

De acordo com as leis declaradas para manter a ordem e a governança de um país, a punição deve ser aplicada aos homens maus com a finalidade de preservar os bons promovendo o crescimento e desenvolvimento de um país. Mas, a falta de conduta de alguns e a não conformidade com as leis geram caos , descontrole e rebelião entre povo e governantes.

Condenar o povo às regras duras provoca insensatez e frustração. O sentimento de incompetência esgota o ser humano a ponto de não se importar mais com valores, leis, bens materiais, família, pessoas ao seu redor e até com a própria vida! Isto explica a situação e os movimentos pelos quais bons países estão passando.

Somente o TAO possui o encargo de dar a vida e de matar sem interferir o curso natural de todas as coisas.

Tentar controlar o curso da vida é como tomar o lugar de um esmero lenhador usando seu machado para derrubar um tronco de árvore. Cuidado! Ao manejar a ferramenta sem conhecimento, poderá se ferir!

Por coincidência, o fonema em chinês dos números 74 lembra “sentença sobre a vida e morte”. É bipolar e reflexivo!

“Forçar a barra”, conduzir e interferir na prática da meditação para alcançar o resultado imediato, é provocar e matar a chance de Ser Natural!

Observe e contemple a Natureza: um brotinho se torna uma árvore majestosa somente com luz do sol, terra e a água que vem das chuvas. Outro exemplo: o bebê passa 09 meses conectado naturalmente à mãe. Depois do nascimento, quando é “desconectado”, cresce e vive de acordo com modelo e crenças que o homem criou.

(*) Com o passar do tempo, fica igual à uma fruta que caiu do galho de uma árvore… No chão permanece até virar passas, ser devorado por um animal OU aprender a se reconectar e permanecer bem preso à árvore.

Com muita sorte e até com a ajuda do destino, o “Ser de Luz” encontra o Centro Taoísta para se tratar e por algum tempo, se mantém disciplinado até que esquece da dor. Prof. Tsai sempre avisa seus pacientes: “Olha…cuidado senão, volta tudo e pior!”

Opa, o “Estou me achando” já melhorou e gasta até a energia que não tem de sobra (ficou no vermelho)! Volte ao parágrafo de cima (*): já viu esse filme, né? Pois é, eu também assisti! Mas, aprendi a lição!

Na prática de energia, todos nós do grupo, percebemos o quanto devemos agir naturalmente para que o ganho de energia seja feita de forma gradativa e constante. Saber usar e dosar com sabedoria é melhor ainda!

Praticar Tai Chi é se deixar levar ao sabor:
• da “onda que vai” e ”onda que volta”,
• do “receber e doar”,
• do manter-se “leve como pluma ao vento” e ”forte como a raiz de uma árvore”
• de exercitar o “recolhimento e expansão”.

Mantendo o seu saldo positivo de Energia, a Essência unida ao Espírito o manterá sempre com longeVIDAde = LONGEvo , joVIal , sauDAvel e DEdicado ao TAO!

 

13/01/2016   Marcela Kwong

E-Mail: marcela_kwong@uol.com.br

http://www.centrotaoista.com.br

_________________________________________________________________

 

Um governo não consegue intimidar o seu povo utilizando a morte;
Pelo contrário, utilizando a força, o povo se rebela e perde-se o respeito e a harmonia.
Quando age pela “não ação”, deixando o seu povo livre, no silencio, um grito de morte se faz ouvir e entender rapidamente.
O governo que deixa o seu povo viver naturalmente não tem nada a temer.
Um governo que foge do seu natural e percorre caminhos contrários ao do Tao, colhe frutos da insegurança, descontentamento e desarmonia, aos quais estamos vivemos.
Não queiramos fazer o que não fomos preparados.
O lenhador utiliza de forma muito eficaz o seu machado, porém, pode ser algo perigoso para alguém que não está capacitado para o seu uso.
Respeitemos a nossa natureza. Respeitemos o nosso limite.
Acrescento que, a natureza não fez o ser humano com asas, com nadadeiras, com quatro patas. Isto significa que não fomos feitos para voar como os pássaros, nadar como os peixes e correr como os leopardos. No entanto, utilizando a inteligência que nos foi presenteada, o ser humano tem conseguido ultrapassar os limites de sua natureza física. Essas conquistas não causariam problema se não fosse o egocentrismo e a supervalorização da matéria e do poder.
Pela prática de tai chi e meditação, com humildade, sinceridade e bom coração, busquemos encontrar a nossa verdadeira natureza, o verdadeiro caminho do Tao, com equilíbrio, energia e muita saúde.
Prof. Tsai, agradecemos por compartilhar tanto conhecimento conosco.

 

10/01/2016  Iracema Ioco Kikuchi Umeda

E-Mail: iikumeda@hotmail.com

*Texto elaborado por aluna Iracema Ioco Kikuchi Umeda.

http://www.centrotaoista.com.br

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s