Relato do Tao Te Ching . Capítulo 72 . Aula de Tai Chi – 28/11/2015

 

352d2695ad178863772ff0a916225b0f

Relato do Tao Te Ching . Capítulo 72 . Aula de Tai Chi – 28/11/2015
 
Temendo a repressão
 
Quando o povo não mais teme a repressão nem as mentiras do governo, isso é sinal de que uma grande revolta pode vai ocorrer. (Temos vários exemplos disso ao redor do mundo: revolução francesa e primavera árabe, mais recentemente)
 
O povo deixa de respeitar e temer o governo sempre que este o reprime, o explora e o acaba impedindo de sobreviver dignamente por meio do seu trabalho.
 
O praticante do Tao, no entanto, sabe o que precisa ser feito, sem chamar a atenção nem tomar atitudes chamativas, como protestos, manifestações ou grandes demonstrações.
 
O praticante do Tao segue seu caminho, fazendo sua prática, pois sabe que, ao final, sempre o tirano acaba perecendo.
 
Sempre o que subjuga tende a ser exaurido, ao final.
 
Isso ocorre porque, conforme o Tao nos ensina, tudo aquilo que está em desconformidade com as leis naturais e universais, ou seja, em desconformidade com o caminho do Tao, tende a naturalmente perecer. Cedo ou tarde.
 
Portanto, diante de uma situação de opressão e exploração governo, o praticante do Tao não perde seu foco nem gasta sua energia, ele apenas aguarda a lei universal (do Tao) se manifestar, levando ao perecimento espontâneo aquilo ou aquele que esteja em desacordo com o ritmo e vibração da natureza.

12/12/2015   Paulo Ricardo

E-Mail:  paulobonciani@hotmail.com

http://www.centrotaoista.com.br

_____________________________________________________

O capitulo 72 nos esclarece que um governo que não assegura condições básicas de sobrevivência ( moradia, trabalho, comida,água , etc…) e gera repressão terá como resultado essa própria energia de volta.  O povo, revoltado com as situações que lhe são impostas, perderá o medo e se movimentará com expansão, gerando mais tensões e pressão para com  o governo. Mas o praticante de Tao, que ” sabe de si”, sabe o que tem que fazer e, de forma simples e humilde, deixa que tudo siga naturalmente. Busca o retorno à sua raiz, se conecta e se fortalece.

 

 

Nesta aula, professor Tsai, nos falou da relação  ” doença/ problema “, como se fossem uma única palavra e expressassem a mesma coisa  : o não saber.  Ele também nos alerta  à mudança de energia, a qual pode indicar que não estamos corretamente conectados.

 

A reflexão destas palavras nos leva a manter levemente a atenção e a consciência na forma de conduzir a nossa vida. O texto diz: ” saber de si “, é abrir os olhos para nós mesmos , compreendendo a nossa natureza, como funciona e como lidamos com ela. Como o próprio texto diz: fazer o que tem que ser feito. Percebemos então quão importante é a constância no uso de todas as ferramentas que pouco a pouco assimilamos em suas aulas.

 

” O não saber ” nos mostra o quanto ainda temos a aprender e parece que por vezes estamos adormecidos para com nossos próprios processos. Soltar os velhos padrões e hábitos, reconhecer nossos limites, discernir o que nos faz bem ou mal, como também perceber uma mudança de temperatura, de humor, cansaço ou qualquer outro sinal pode nos ajudar a sentir uma mudança sutil de energia, a tempo de corrigir e conectar, voltando assim para o caminho da evolução.

 

Enfim, a raiz bem alimentada e regada constantemente não é derrubada nem com o forte balanço, seja da repressão, como o texto refere-se, ou qualquer outra tempestade.

Cuidar da energia divina equilibra, acalma e  nos protege.

 

02/12/2015   Katia Rodriguez Richieri

E-Mail: katia@richieri.com.br

http://www.centrotaoista.com.br

_____________________________________________________

 

Quando o povo não pode mais aguentar

e chega ao seu limite, haverá revolta.

 

Quando o povo sente que não há mais nada a perder,

pois se vê sem saída, sem trabalho, sem perspectiva…

… ele se revoltará como resultado desta situação.

 

Se o governo agir pressionando o povo,

a contraparte ocorrerá da mesma forma e medida.

 

Não se deve tirar do povo suas condições de vida,

nem pressioná-lo além de seu limite,

pois se o fardo não for demasiado pesado,

o povo seguirá seu caminho e fará a sua parte naturalmente.

 

O sábio faz o que precisa ser feito,

Mas não se vangloria, pois sabe que a jornada não é fora,

mas sim dentro, junto à unidade divina.

 

30/11/2015  Gustavo Tanaka

E-Mail:  gustavo.tanaka@gmail.com

http://www.centrotaoista.com.br

 

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s