Relato do Tao Te Ching capitulo 34 – aula de Tai Chi no dia 01/11/2014

34laotse34

“Se torna grande”

 Se tornar grande, sem assim o desejar ou planejar. Essa é a lição mostradas no capítulo 34 por Lao-Tsé .

O capítulo tem início afirmando que o TAO é amplo, ou seja, atinge o lado esquerdo e o direito. Atinge e é tudo. Por onde se vai, encontra-se o TAO.

Todos os objetos e seres vivos dependem do TAO – e ele não os recusa. O praticante de energia sabe e sente quando o TAO opera, pois é sensível ao TAO em todos os momentos. Entretanto, o TAO não assume nomes, não se vangloria ou se apropria do que faz. Mais do que isso, não assume nomes porque as designações são pós-natais. Na aula, o professor Tsai Shien Jong ressaltou que Lao-Tsé jamais buscou definir o TAO.

O TAO alimenta os seres vivos, mas não se sente rei ou líder deles; não se sente dono. O grande TAO deixa os seres vivos seguirem o próprio caminho – não os julga.

O TAO pode ser grande, se você pensar nele de forma grande. Pode ser pequeno, se você pensar nele como algo pequeno. E, ao mesmo tempo, quando você estiver distraído, o TAO pode se tornar grande, porque o TAO pode ser tudo.

No entanto, o verdadeiro praticante nunca pensa no TAO como algo grande; tampouco se engrandece por meio do TAO. Se pensarmos nele como grande, ele diminui e o discípulo não atinge a grandeza.

O TAO é à prova do tempo; o TAO é, na verdade, o próprio tempo a mostrar o resultado da prática de energia; do seguir o caminho do TAO.

Leveza e sutileza são parte do TAO.

Refletindo sobre o capítulo e a aula, pensei no processo de meditação. Por muitas vezes, queremos tornar a meditação uma grande experiência; queremos ver o ponto luminoso, silenciar a mente automaticamente; “comandar” cada centímetro da experiência. Mas, como o TAO, a meditação não pode ser designada ou comandada. O professor Tsai, inclusive, ressaltou que cada um dos alunos relata experiências diferentes. Acredito isso ser obra do TAO, a não-designação.

Muitas vezes, criamos todo um ambiente para meditarmos, esquecendo que como o TAO, a meditação está em tudo. Está nos ambientes barulhentos, está no trânsito, está na calma que devemos ter diante das adversidades. Meditar é, na minha opinião, muito mais do que sentar em silêncio. É, antes de tudo, ser sensível – como mostra o capítulo 34 – à presença do TAO.

04/11/2014 Betânia da Silva Lins

E-Mail: betania.lins@printeccomunicacao.com.br

*Texto elaborado por aluna:Betânia da Silva Lins

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s