Depoimento de: Djalma Rosa dos Santos Filho – hérnia de disco, bursite, cansaço, dor lombar, dores na pernas, ansiedade, insônia e etc.

Ter encontrado o Centro Taoista dirigido pelo Prof. Tsai foi um marco na minha DSC09813busca por melhor qualidade de vida, me trouxe perspectiva de cura das dores nas costas e impulsionou a minha autoestima, em um momento que me sentia extremamente desanimado, frustrado e sem energia.

Fui diagnosticado com hérnia de disco na lombar (L5-S1) e síndrome miofascial. O histórico realmente é muito longo, um problema que se arrastou por mais de 5 anos, vou tentar fazer um resumo para o depoimento não ficar grande demais.

Em todo esse período, me submeti a vários tratamentos médicos e de fisioterapia. Mas, por indicação dos próprios médicos também busquei ajuda de tratamentos considerados alternativos como a acupuntura, tudo isso aliado a uma dieta rigorosa para perda de peso e muita disciplina em atividades físicas, principalmente exercícios aeróbios, alongamento e musculação. Era uma rotina muito cansativa e de resultados insatisfatórios e efêmeros.

Com muito esforço, obtive progresso nos aspectos relacionados a condicionamento físico, postura, fortalecimento muscular e perda de peso. No entanto, vivi por muito tempo frustrado por não conseguir a cura ou, pelo menos, algo que me propiciasse um alívio significativo para aquelas dores, principalmente a dor lombar que era a que mais me incomodava. Mesmo estando bem fisicamente, eram frequentes as crises que me afastavam do emprego ou diminuíam a minha produtividade.

O meu primeiro contato com a acupuntura aconteceu em 2006, através de um ortopedista que no ano anterior havia tratado da minha esposa que sofria com duas hérnias de disco na coluna e estava prestes a se submeter a uma cirurgia. Devido ao tratamento bem sucedido dela, foi exatamente esse médico que eu procurei na minha primeira crise, quando a lombar “travou” pela primeira vez. Infelizmente, o mesmo tratamento não resolveu para mim como resolveu para ela. A eficiência da técnica de acupuntura e quiropraxia (manipulação articular) aplicada por esse médico se mostrou limitada para o meu caso, após algumas sessões, ajudava a destravar a lombar e aliviava a dor por um período curto. Era a melhor alternativa que eu tinha nos momentos de crise, mas não conseguia impedir uma nova recaída depois de algum tempo.

Em 2008, em uma das piores crises, procurei outro médico que me disse que não havia nada para justificar aquela dor. O exame de ressonância magnética só mostrava uma protrusão discal (L5-S1) sem compressão do nervo ciático (naquela época ainda não podia ser considerada uma hérnia, de acordo com a opinião dele). A recomendação desse médico era buscar mais qualidade de vida, perder peso, melhorar postura e fazer alongamento e fortalecimento muscular. Como eu já estava fazendo tudo isso há mais de um ano, então, na opinião dele, já estaria no caminho certo e seria uma questão de tempo para começar a melhorar.

Para aliviar as dores, esse médico me receitou remédios controlados, um relaxante muscular e um antidepressivo. Com esses remédios a dor sumia, mas com efeitos colaterais que me incomodavam muito, a medicação me deixava muito sonolento, com dificuldades para urinar e com o intestino preguiçoso.

Por indicação de um amigo, conheci uma fisioterapeuta que estudava medicina chinesa. Na época, ela me examinou e tentou me convencer que eu poderia ter uma alternativa aos remédios através da acupuntura; dizia que com as aplicações o meu corpo produziria naturalmente a própria “endorfina” para aliviar a dor e outras substâncias para promover o que ela chamava de auto cura. Na parte da fisioterapia em si, ela não via necessidade de incluir nenhuma técnica no tratamento, bastava o que eu já praticava de atividade física, somente acrescentando mais ênfase no fortalecimento da musculatura abdominal para melhor sustentação da lombar. O amigo que a indicou era o marido dela e me dizia que ela levava muito a sério os estudos de medicina chinesa, tomava chá, tinha uma alimentação muito natural e praticava a meditação, mas nada disso fazia parte do tratamento, era só a acupuntura mesmo. Por um tempo, a estratégia funcionou, até eu aparecer no consultório dela com a primeira crise de ciático, quando a dor passou a irradiar fortemente para a perna. Ela me dizia que eu estava com um desequilíbrio, porém aquelas sessões de acupuntura de nada resolviam o problema que só se agravava.

Depois, eu desisti do tratamento com essa fisioterapeuta, mas eu acho que foi importante a experiência que eu tive com ela, porque funcionou bem por um tempo e serviu de referência para que eu entendesse que acupuntura de qualidade estava associada ao conhecimento e práticas da medicina chinesa.

Cheguei a ser hospitalizado em 2009 para fazer uma punção (infiltração na hérnia), que também nada resolveu. O pós-operatório foi muito complicado, parei de mancar, mas a minha lombar ficou rígida como uma pedra e a recuperação levou mais de um mês, tomando muitos remédios que só disfarçavam a dor e tinham efeitos colaterais, o quadro não se estabilizava.

Logo em seguida, antes mesmo de estar completamente recuperado, fui acometido de uma forte dor no ombro direito com irradiação para o braço, que comecei a sentir quando estava em casa, deitado na cama trocando o canal de TV. Por incrível que pareça, o médico que cuidou da lombar não conseguia diagnosticar a causa desse problema, então tive que mudar de médico novamente.

Finalmente, com esse outro médico tive um diagnóstico completo. A causa da dor no ombro era uma bursite causada por uma lesão no manguito rotador, para as outras dores que não tinham explicacao ele fez o diagnóstico clinico da síndrome miofascial (dores músculo esqueléticas) com o agravante da hernia de disco. Então, fiz um tratamento bastante intensivo, com quase um ano de fisioterapia (no inicio acompanhada de analgesia através de remédios), RPG, quiropraxia e exercícios de fortalecimento para ombro e costas.

Fiquei relativamente satisfeito com os resultados para o ombro e o ciático (que apresentou recaídas, mas se recuperou), porem a lombar ainda incomodava muito. Mesmo assim, o médico me deu alta e, de certa forma, me desenganou dizendo que eu não iria me livrar da dor na lombar por conta da hérnia, mas me receitou um remédio para eu tomar sempre que sentisse muita dor. Às vezes, eu tomava esse remédio, principalmente, quando a dor me incomodava a ponto de não me deixar dormir, em contra partida, como efeito colateral, eu ficava muito sonolento no dia seguinte.

Em 2011 surgiu uma crise menos agressiva, só que mais prolongada com dores na lombar e ciático novamente. Não conseguia, por exemplo, dirigir por muito tempo, me via forçado a passar a direção para a minha esposa quando a dor aumentava muito e só conseguia trabalhar a base de remédios (relaxante muscular e anti-inflamatório). E, dessa vez, a dor veio com um novo componente: uma baixa energética que eu não conseguia explicar, eu pensava que era um desânimo natural pela recorrência do problema.

Não suportava mais aquela situação, fiquei deprimido e engordei 5 Kg. Já estava disposto a procurar um especialista em cirurgia de coluna, inclusive, tinha visto, no Jornal da Band, uma cirurgia de hérnia de disco com radiofrequência que tinha acabado de chegar ao Brasil, pouco invasiva e promissora, embora muito cara, de acordo com as informações da reportagem.

Antes de buscar pela cirurgia, tive a ideia de primeiro procurar outro terapeuta de medicina chinesa, para pelo menos conseguir um pouco de melhora e tomar uma decisão mais consciente.

Então, resolvi pesquisar na Internet e encontrei o site do Centro Taoista, achei interessante o conteúdo, principalmente os depoimentos, e resolvi marcar uma consulta.

Logo após a primeira sessão de acupuntura, me surpreendi muito com o resultado, a dor na lombar foi reduzida em 90% e a dor do ciático desapareceu, nunca mais irradiou para a perna.

Resultado semelhante eu só havia experimentado tomando aqueles remédios controlados, que eu já relatei. Mas, com a vantagem de que a acupuntura não me causa nenhum desconforto, muito pelo contrário, me sinto mais saudável em todos os aspectos, inclusive no emocional, passei a ficar menos irritado no ambiente de trabalho e à noite durmo melhor.

O componente energético também foi reestabelecido, o Prof. Tsai me explicou que, de acordo com a medicina chinesa, era justamente o contrário do que eu pensava: a baixa energética não era consequência da dor, mas era a causa.

Conheci muitos acupunturistas, medicos e nao medicos, mas, dentre eles, posso certificar que somente o Prof. Tsai emprega em seu método de tratamento todos os aspectos da medicina chinesa: a acupuntura, os cuidados com a alimentação, a fitoterapia (chá), a meditação e o tai chi. Tudo explicado de uma forma fácil para qualquer um entender e praticar, visando sempre o equilíbrio energético.

É impressionante a técnica ímpar de acupuntura que ele desenvolveu, com apenas uma sessão a musculatura contraída da lombar misteriosamente relaxa e volta ao normal, sem aplicar nenhuma agulha nas minhas costas, apenas em pontos que aparentemente não têm nenhuma relação com as dores.

Acho também importante relatar que muitos acuputuristas com quem me tratei costumavam me machucar e deixavam roxo o local onde aplicavam as agulhas, mas com o Prof. Tsai eu nunca tive problemas desse tipo.

No aspecto peso, eu confesso que me orgulho de ter conseguido perder 20 kg sozinho com dieta e academia, mas, confesso também que além do desgaste físico, a dificuldade maior era a de manter o peso e isso eu não estava conseguindo. Bastava sair de férias ou, por qualquer outro motivo, passar por um período mais prolongado longe da academia que, novamente, eu voltava a engordar. Meu peso na época variava muito, entre 77 kg e 85 kg, o conhecido efeito sanfona. Mas, depois que comecei a fazer a acupuntura no Centro Taoista, seguir algumas recomendações de alimentação e tomar chá, perdi 5 Kg em apenas 2 meses. E, o principal de tudo, já faz 2 anos que estou mantendo o mesmo peso, 76 Kg. Acabou o efeito sanfona e o descontrole, que hoje percebo que existia, de, às vezes, comer por ansiedade.

Eu confio muito no trabalho do Prof. Tsai e sou muito grato pelo conhecimento que ele compartilha. Mas, sei que tenho muito que evoluir e continuar com o tratamento sem interrupções para manter o que foi conquistado e conseguir avançar, porque o ano de 2012 foi muito bom para mim em todos os aspectos, mas, infelizmente, desenvolvi um quadro recente de cervicalgia, dores no pescoço que têm me prejudicado muito, principalmente no trabalho. O ortopedista me falou que é comum pacientes que tiveram problemas no ombro passarem a ter dores no pescoço devido a lesões causadas pelo mesmo desequilíbrio muscular. Não pretendo discordar do médico e nem deixar de fazer a fisioterapia, acredito que os tratamentos possam se complementar, estou otimista e espero voltar a escrever em breve sobre a evolução desse quadro.

28/08/2013    Djalma Rosa dos Santos Filho

E-Mail: drsantosfilho@gmail.com

Ver outros depoimentos:

http://www.centrotaoista.com.br/ver_depoimento.php?cat=acupuntura

Anúncios

Deixe um comentário

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s